Notícia

Jornal Brasil

Relações com a sociedade

Publicado em 09 outubro 2015

A Unicamp realiza e sedia a partir desta sexta-feira (9) o 2º Congresso de Extensão da Associação de Universidades do Grupo de Montevidéu (AUGM), rede que reúne escolas públicas de nível superior do Brasil, Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai. O evento, que terá como tema central a A indissociabilidade entre Ensino, Pesquisa e Extensão e se estenderá até 12 de outubro, contará com 585 trabalhos, sendo 525 na modalidade “pôster” e 60 na modalidade “comunicação oral”. Até o início desta quinta-feira, a organização já contabilizava mais de mil inscrições de pessoas vindas de vários países do Cone Sul.

 

De acordo com o reitor José Tadeu Jorge, a Unicamp se sente honrada por organizar e sediar o Congresso de Extensão da AUGM, principalmente no contexto das comemorações pelos 50 anos da Universidade, a serem completados em 5 de outubro de 2016. O dirigente destaca que as atividades que promovem a relação da Unicamp com a sociedade são fundamentais para o cumprimento da principal missão da instituição, que é formar pessoas qualificadas e preparadas para o exercício profissional. “Para poder exercer plenamente a sua profissão, o jovem precisa conhecer a realidade na qual está inserido”, analisa.

 

Um dado importante sobre o evento, conforme o reitor, é o seu caráter internacional. A presença em um único espaço de universidades de diferentes perfis e países permitirá a troca de experiências entre elas, o que deverá propiciar o avanço da extensão nessas instituições. “É possível que possamos adaptar alguma ideia à nossa realidade e vice-versa. Outro aspecto importante a ser observado é ampla participação de estudantes no congresso. A AUGM tem um dos melhores programas de mobilidade para alunos de graduação, iniciativa que contribui para a integração acadêmica na América Latina”.

 

 

O Congresso de Extensão da AUGM também é importante, segundo Tadeu Jorge, para o esforço de internacionalização da Unicamp. O dirigente salienta que a Universidade entende a internacionalização como um processo amplo. “Nós temos que fazer o que classifico de internacionalização tanto para cima quanto para baixo. Ou seja, temos que olhar para as universidades que estão num patamar superior em termos de geração do conhecimento, mas também para aquelas que ainda não atingiram o mesmo estágio no qual a Unicamp se encontra. Temos o que aprender, mas também o que ensinar”, diz.

 

O coordenador-geral da Unicamp, Alvaro Crósta, tem entendimento semelhante acerca da importância do congresso. Segundo ele, o evento permitirá a troca de experiências entre instituições com linhas de atuação e trajetórias diversas. “Penso que será uma oportunidade para aprendermos e, possivelmente, ensinarmos algo”. Alvaro Crósta chama a atenção para a relevância e conveniência dos temas que serão debatidos ao longo dos quatro dias. “São assuntos que estão diretamente relacionados aos anseios e aflições da sociedade. Queremos dar as boas-vindas aos participantes e desejar que eles tenham um período de trabalho profícuo e agradável”.

 

O titular da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários (Preac), João Frederico de Azevedo Meyer, explica que, além do tema central, o congresso contará com três eixos temáticos. O primeiro tem como título “Direitos, responsabilidades e expressões para o exercício da cidadania”. Os outros dois são “Os valores para teorias e práticas vitais” e “Novas tecnologias: Perspectivas e Desafios”. “São assuntos que estão na base das relações que mantemos com a sociedade. Na Unicamp, vale destacar, esse relacionamento não é feito somente pela Preac. Aqui, nós fazemos extensão em todas as unidades, núcleos, centros e órgãos”, afirma.

 

O pró-reitor acredita que os debates e as trocas de experiências proporcionadas pelo evento contribuirão para o desenvolvimento de novos projetos na área de extensão, nas diferentes universidades participantes. “Nós temos a expectativa, por exemplo, de que a AUGM, que já tem um importante programa de mobilidade estudantil, financie novos projetos de intercâmbio de estudantes, tendo o crescimento das atividades de extensão como objetivo”, adianta.

 

O 2º Congresso de Extensão da Associação de Universidades do Grupo de Montevidéu é organizado pela Unicamp e conta com apoio da Fapesp, Capes, Unesp, GGBS, AFPU e Faepex-Unicamp. A programação completa do evento pode ser conferida neste endereço eletrônico.

Fonte Imprensa Unicamp