Notícia

JC e-mail

Reitores de SP aprovam novo secretário de Ensino Superior

Publicado em 13 agosto 2007

O Cruesp (conselho de reitores da USP, Unesp e Unicamp) divulgou ontem uma nota na qual afirma que a escolha do lingüista Carlos Vogt como titular da Secretaria Estadual de Ensino Superior é um "fator de tranqüilidade para a comunidade universitária"

Na quinta-feira, dia 9, Vogt, atual presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa de SP (Fapesp), foi anunciado pelo governador José Serra (PSDB-SP) como substituto de José Aristodemo Pinotti, que pediu demissão.

A nota dos reitores, assinada por José Tadeu Jorge (Unicamp), afirma que "ao valor acadêmico e à experiência administrativa do professor Vogt se soma o fato de que ele participou das gestões para a implantação do projeto de autonomia das universidades estaduais paulistas, em 1989".

O texto refere-se ao ano no qual USP, Unesp e Unicamp passaram a receber um percentual fixo do ICMS (principal imposto paulista), o que evitou que as escolas tivessem que, anualmente, negociar com o governador o orçamento.

Desde o início da gestão Serra, parte da academia afirmava que o governo estava tentando tirar a autonomia das universidades. Os próprios reitores faziam tal crítica.

Após diversas reuniões com o Executivo, os reitores afirmaram que o risco não existia mais. Parte dos alunos, professores e funcionários, porém, dizia que não existiam garantias disso. Esse foi um dos motivos para a invasão da reitoria da USP, que durou 50 dias.

Em meio ao impasse, o secretário Luiz Antonio Marrey (Justiça) tomou a frente das negociações com os invasores, o que foi considerado um enfraquecimento de Pinotti.

Para o presidente da Associação dos Docentes da USP (Adusp), Otaviano Helene, "não importa o nome que ocupe o cargo, o problema é a política do governo para o ensino". (Fábio Takahashi)

(Folha de SP, 11/8)