Notícia

Jornal de Piracicaba online

Reitora defende criação de graduação no Cena

Publicado em 20 fevereiro 2006

Suely Vilela participou ontem da posse do novo diretor do Centro de Energia na Agricultura A reitora da USP (Universidade de São Paulo), Suely Vilela, 51, disse ser favorável à criação de um curso de graduação no Cena (Centro de Energia Nuclear na Agricultura). Ela, que é a primeira mulher a dirigir a USP, esteve ontem em Piracicaba para prestigiar a posse do novo diretor do Cena, Virgílio Franco do Nascimento Filho. Em seu discurso, defendeu aquela que é a principal proposta do novo diretor: a criação de um curso de graduação no Cena. Prestes a completar 40 anos, o Cena oferece apenas cursos de pós-graduação (mestrado e doutorado). A medida desagrada alguns dos 38 pesquisadores do Cena, que seriam os professores da graduação, sem ganhar a mais por isso. Suely disse ainda que vai exigir um Plano Diretor para planejar os próximos dez anos do campus Luiz de Queiroz. Confira as opiniões da nova reitora sobre vários temas. Graduação no Cena - O Cena já forma recursos humanos pós-graduados e desenvolve pesquisas de excelente qualidade. Acho que já está no momento de transferir todo esse conhecimento para a graduação. Isso é uma iniciativa própria do Cena e nós vamos apoiá-la. Campus Luiz de Queiroz - Nós queremos que cada campus apresentem, em três meses, um projeto para os próximos dez anos. Durante o primeiro semestre iremos nos reunir com os diretores. A primeira será amanhã (hoje), em São Carlos (a reunião com o diretor da Esalq José Roberto Postali Parra ainda não está agendada). Não quero impor nada. Eu acho que quem tem que construir o projeto é o campus. Preconceito - Não sinto preconceito na Universidade. Não posso dizer que não exista preconceito contra a mulher, que é excluída de vários processos. Nesses três meses tenho trabalhado muito para formar minha equipe e tocar a universidade paralelamente e não tenho encontrado dificuldade por ser mulher. Orçamento - Nós temos um comprometimento com a folha de pagamento que chegou a 85% no ano passado e, em 2006, deve chegar a 87%. Até 2008 deveremos ter um comprometimento de 89%, 90%. O comprometimento do orçamento, deixando apenas 10% para custeio, causa preocupação. Temos de desenvolver uma cultura de estimular, buscar outras fontes de recursos. Recursos para Pesquisas - Nós sempre temos uma demanda reprimida, porque obviamente que temos de criar demanda. Agora a FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) está concedendo mais bolsas, recuperando sua situação financeira.