Notícia

DCI

Região metropolitana de São Paulo ganha parque em área da Cantareira

Publicado em 31 março 2010

A Secretaria do Meio Ambiente vai criar quatro novas unidades de conservação ambiental. As áreas terão espaço equivalente a 40 vezes o Parque Villa-Lobos, na capital paulista. O anúncio foi realizado durante o evento "Meio Ambiente em Ação", onde também foram criados dois parques estaduais, Itaberaba e Itapetinga, e duas florestas estaduais, Atibaia e Guarulhos, todos na região da Cantareira, Grande São Paulo. As áreas protegidas vão garantir a produção de água de qualidade para a região metropolitana de São Paulo, conforto climático, lazer e conservação da biodiversidade, segundo comunicado divulgado pelo órgão.

Os indicadores para a criação das unidades de conservação nas Serras de Itaberaba e de Itapetinga foram identificados a partir do esforço de equipes da Fundação Florestal, do Instituto Florestal (IF) e da Reserva da Biosfera do Cinturão Verde da Cidade de São Paulo (RBCV). O grupo técnico cruzou informações de estudos do programa Biota, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), que indica as áreas prioritárias para a criação de unidades de conservação importantes para a proteção da fauna e da flora, com um levantamento dos fragmentos relevantes de mata atlântica apontados no inventário florestal do (IF).

Dados, mapas e imagens foram sobrepostos, concluindo-se a importância de se protegerem 14.482 hectares da Serra de Itaberaba e 14.591 hectares da Serra de Itapetinga. São quase 30 mil hectares de mata atlântica adjacentes aos 7,9 mil hectares do Parque Estadual da Cantareira.

No mesmo evento foi encaminhado à Assembléia Legislativa de São Paulo o projeto de lei específica da Área de Proteção e Recuperação de Mananciais do Alto Juquery, que delimita áreas do Sistema Cantareira a serem protegidas e recuperadas.