Notícia

Diário do Povo

Reforço para pesquisa

Publicado em 15 julho 2008

Por Patrícia Azevedo

Investimento anunciado Ministro da Ciência e Tecnologia lança programa para criação de 50 institutos em todo o País

O primeiro dia de conferências da 60ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) foi aberto com anúncios de investimentos do governo federal em pesquisa. O ministro da Ciência e Tecnologia, Sérgio Machado Rezende, anunciou a criação, até o final do ano, do programa Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia, que tem o objetivo de estimular o desenvolvimento científico.

Previsto para durar cinco anos, o programa já conta com uma dotação orçamentária de R$ 270 milhões do Ministério da Ciência e Tecnologia. De acordo com Rezende, devem ser criados cerca de 50 institutos, que serão selecionados de acordo com as áreas estratégicas para o País. Entre estas áreas estão a nanotecnologia, a biotecnologia, energia renovável, biocombustível, semi-árido e programa espacial.

O número exato depende da definição das entidades que irão participar, explica. Os convênios ainda estão sendo negociados, mas a expectativa de Rezende é de que o programa conte com um orçamento de R$ 400 milhões para os próximos três anos.

Temos que ter a robustez necessária em termos de recursos para garantir a continuidade mesmo após o fim desse governo, disse o ministro.

Envolveremos as três maiores entidades de pesquisa do País, a Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), a Faperj (Rio de Janeiro) e a Famig (Minas Gerais), o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES), os Ministérios da Saúde e da Educação e a Petrobras, explica Rezende.

REGIÃO SUDESTE. Ainda segundo o ministro, a maior parte dos institutos deve ser criada em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Mas a idéia é incentivar a pesquisa no Norte e Nordeste , completou ele.

O edital para propostas para os institutos será lançado no início de agosto. Pra dar mais credibilidade ao programa, os projetos serão escolhidos por uma comissão de pesquisadores que atuam no Exterior.

Segundo Rezende, o projeto faz parte do Plano de Ciência e Tecnologia para os próximos anos, que prevê um orçamento de R$ 4,1 bilhões. Esta é a primeira vez que o Brasil tem um plano para Ciência e Tecnologia, afirmou.

O plano prevê quatro prioridades e uma delas é expandir o sistema nacional de Ciência e Tecnologia. Segundo Rezende, o Brasil tem entre 60 e 70 mil pesquisadores doutores, quando o ideal seria ter 600 mil profissionais.

Carros com selo de eficiência

As montadoras de automóveis terão, a partir de outubro, um selo de eficiência energética nos mesmos moldes daqueles que vêm nos refrigeradores, disse o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc. A medida, que tem como objetivo estimular o consumo consciente, está em fase final de negociação. A emissão de gases é um sério problema de saúde. Tivemos um entendimento forte com as montadores e o Ministério da Energia e a partir de outubro os veículos novos sairão da fábrica com a etiqueta. disse Minc.

O anúncio que mais agradou a comunidade científica foi a mudança para a concessão de licença ambiental para pesquisa da biodiversidade.

Do anonimato à conquista de espaço

Quem já participou (e venceu) em alguma das categorias do Prêmio Jovem Cientista sabe que a credibilidade do evento é um dos meios mais eficazes para a divulgação de um trabalho acadêmico. Prova disso está na trajetória da mestre em Química Ambiental Milena Boniolo, que realiza hoje, na 60ª reunião da SBPC, palestra sobre a pesquisa com cascas de banana que fez durante o mestrado — e que a levou a vencer a edição passada — e como o fato afetou sua carreira (leia mais no quadro abaixo).

Aos 27 anos, Milena começa agora a colher os frutos por ter se arriscado a participar do concurso. Com o trabalho intitulado Uso de casca de banana para o tratamento de efluentes radiotóxicos, que mostra como a parte descartada do vegetal pode contribuir na preservação do meio ambiente, não só levou o prêmio na categoria Graduado como passou a receber propostas de empresas interessadas em tirá-lo do papel. O evento é uma oportunidade muito boa para mostrar trabalhos que geralmente ficam trancados nas universidades. Depois de conquistar o prêmio, cientistas do Brasil todo ficaram sabendo dos meus estudos, aponta. A pesquisadora acredita que só a participação no evento já seria benéfica para a sua carreira. Há muito mais pessoas que desistem do que fracassam, acredita, citando uma frase do empreendedor automobilístico Henry Ford. Na palestra de hoje, Milena contará como chegou à casca de banana como objeto de estudo e detalhes de como ela age nas águas poluídas. (Henrique Nunes/AAN)

 

Palestra: Cascas de banana aplicadas na remoção de urânio

Palestrante: Milena Boniolo, mestre em Química Ambiental pelo Ipen/USP e vencedora do 22º Prêmio Jovem Cientista na categoria Graduado.

Horário: 16h

Local: Sala 16 do Instituto de Biologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), que fica na Cidade Universitária Zeferino Vaz, na Rua Monteiro Lobato, 255, Barão Geraldo.