Notícia

Jornal do Comércio (RS)

Redução de peso pode evitar 15 mil casos de câncer

Publicado em 26 abril 2018

Estima-se que pelo menos 15 mil casos de câncer por ano no Brasil, ou 3,8% do total, poderiam ser evitados com a redução do excesso de peso e da obesidade. O número deve crescer até 2025, quando se estima que mais de 29 mil novos casos de câncer atribuíveis à obesidade e sobrepeso devam surgir por ano, índice que vai representar 4,6% de todos os novos casos no País.

Os dados são de um estudo epidemiológico feito no Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, em colaboração com a Universidade de Harvard (Estados Unidos). “O problema principal é que vem ocorrendo aumento nas prevalências de excesso de peso e obesidade no País e, com isso, os casos de câncer atribuíveis a essas duas condições também devem crescer. Fora isso, espera- -se que haja aumento nos casos de câncer como um todo, pois a população vai aumentar e envelhecer”, acredita o doutorando na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, Leandro Rezende.

Ele é um dos autores do artigo publicado na revista Cancer Epidemiology, com o título The increasing burden of cancer attributable to high body mass index in Brazil. O trabalho é resultado de uma Bolsa de Pesquisa no Exterior da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo feita na Harvard University. Segundo Rezende, o aumento do poder econômico levou a um maior consumo, porém, no caso da alimentação, o fenômeno ficou atrelado principalmente aos alimentos ultraprocessados.

“O estudo mostra essa fase de transição nutricional epidemiológica. São justamente esses alimentos calóricos, com quantidade elevada de açúcar, sal e gordura, que também são os produtos mais baratos”. Obesidade e sobrepeso estão associados ao aumento de risco de 14 tipos de câncer, como o de mama (pós- -menopausa), cólon, reto, útero, vesícula biliar, rim, fígado, mieloma múltiplo, esôfago, ovário, pâncreas, próstata, estômago e tireoide, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

No Brasil, a incidência desses 14 tipos de câncer corresponde à metade do total de casos da doença diagnosticados por ano. A pesquisa foi realizada em colaboração com os pesquisadores brasileiros e norte-americanos e calculou a fração atribuível populacional (FAP) do câncer relacionado ao índice de massa corporal (IMC) elevado.