Notícia

IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas

Recuperação ambiental

Publicado em 08 agosto 2018

O Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram) promoveu, entre os dias 1 e 3 de agosto na cidade de Belo Horizonte, a nona edição do Congresso Brasileiro de Minas a Céu Aberto e Minas Subterrâneas (CBMINA), em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). A pesquisadora Maria Lucia Solera, da Seção de Sustentabilidade de Recursos Florestais do IPT, apresentou no evento o trabalho 'Bioengenharia de Solos para Recuperar Talude de Pilha de Estéril', escrito em parceria com o professor Admilson Írio Ribeiro, do Instituto de Ciência e Tecnologia da Unesp.

A participação de Maria Lucia ocorreu no segundo dia do evento dentro do painel 'Meio Ambiente: Controle Ambiental e Recuperação de Áreas Mineradas'. O trabalho é parte da tese de doutorado da pesquisadora, que foi defendida em março de 2018 dentro do Projeto de Pesquisa Fapesp/Vale intitulado 'Recuperação de áreas degradadas de mineração associando técnicas de bioengenharia de solos com a geração e manutenção de serviços ambientais', realizado entre os anos de 2012 e 2016 pelo IPT.

A apresentação mostrou modelos estruturais de bioengenharia de solos para reter solo-substrato/sementes de leguminosas, como adubos verdes, visando à produção de matéria orgânica e à promoção das condições necessárias para revegetação. Os modelos foram avaliados utilizando índices de desempenho a partir de critérios selecionados com base na experiência de campo.

O painel de abertura do evento tratou do tema 'Gestão de riscos na mineração: da exploração mineral ao produto final' com a presença de dirigentes e executivos de mineradoras. O destaque do congresso este ano, segundo a pesquisadora, foi dado à gestão de barragens de rejeitos, com foco nas mudanças da legislação e suas implantações, assim como nas novas formas de disposição: "Essa atenção para os rejeitos da mineração foi atribuída após o episódio do acidente na barragem de Fundão, em Mariana". Ainda em relação aos recentes incidentes, a prioridade na segurança das pessoas foi ressaltada.

O fórum, que é realizado a cada dois anos, é constituído de conferência magna, plenárias, sessões técnicas, workshop, debates, apresentação e premiação de trabalhos técnicos relativos à mineração. Além disso, também é oferecido um espaço para exposição de marcas, produtos e equipamentos por parte dos patrocinadores.