Notícia

Instituto de História da Arte (Portugal)

Recepção, circulação e leituras do tratado de Andrea Pozzo em Portugal e no Brasil

Publicado em 06 maio 2019

Por Mateus Alves Silva

Ultimamente o tratado de desenho de perspectiva do jesuíta Andrea Pozzo (1642-1709), Perspectiva Pictorum et Architectorum, tem sido foco de investigação em diferentes abordagens, tanto em Portugal quanto no Brasil, ligadas à construção de pinturas de quadratura, retábulos, estruturas arquitetônicas, aparatos efêmeros. Publicado inicialmente em dois volumes (Roma, 1693 e 1700), esse tratado endereçado a pintores e arquitetos obteve rápido sucesso editorial, com diversas edições e traduções em vários idiomas. Esse sucesso pode ser associado sobretudo à qualidade do repertório de imagens que o compunham e da exposição didática do texto. A sua recepção em Portugal é inequívoca em função da presença física do tratado em diversas bibliotecas, de três traduções manuscritas realizadas durante o século XVIII e de diversas obras produzidas segundo os seus fundamentos. No Brasil também se têm diversos indícios da circulação e utilização da obra disseminados por todo o vasto território. Pretende-se com essa apresentação demonstrar os resultados parciais da investigação realizada em Portugal durante o ano corrente. O enfoque dessa abordagem intenta resgatar o texto de Pozzo e a compreensão dos métodos para a construção do desenho em perspectiva. Além disso, busca-se compreender de que forma se deu a recepção dessa obra por meio da documentação a ela relacionada, tendo por base as traduções realizadas em língua portuguesa que, apesar de jamais terem sido editadas, sugerem expressiva circulação da obra no meio artístico. Por fim, apresenta-se ainda um breve panorama dos usos do tratado de Andrea Pozzo na produção artística realizada no Brasil durante os séculos XVIII e XIX.

Mateus Alves Silva é doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Estadual de Campinas, em São Paulo – Brasil, sob orientação do Professor Doutor Marcos Tognon. Atualmente desenvolve Estágio de Investigação na Universidade de Évora, sob supervisão do Professor Doutor José Alberto Gomes Machado, por meio de Bolsa de Estágio de Pesquisa no Exterior da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (BEPE – FAPESP Proc. 2018/04673-3), intitulada “A produção artística de Andrea Pozzo e as traduções manuscritas portuguesas do tratado Perspectiva Pictorum et Architectorum”.