Notícia

Jornal da USP online

Raios cósmicos são protagonistas de exposição gratuita em São Carlos

Publicado em 25 junho 2019

Por Centro de Divulgação Científica e Cultural (CDCC)

Visitantes terão acesso a óculos 3D de realidade virtual e poderão conhecer uma câmara detectora de múons

 

Você já deve ter visto imagens de uma aurora boreal – ou, quem sabe, até mesmo já teve a oportunidade de ver o fenômeno de perto em países como Noruega ou Finlândia. Mas talvez você não saiba que este efeito luminoso no céu se dá devido à interação de raios cósmicos. Em São Carlos, uma exposição gratuita inaugurada nesta semana se dedica justamente a explicar o que são os raios cósmicos e convida os visitantes a conhecerem o mundo da física de partículas e da astrofísica de altas energias.

A exposição Raios! Mensageiros do Cosmos está aberta no Observatório Dietrich Schiel, um observatório astronômico ligado ao Centro de Divulgação Científica e Cultural (CDCC) da USP.

Os visitantes terão acesso a uma câmara detectora de múons, tipo de partícula produzida pelo decaimento de raios cósmicos; um óculos de realidade virtual com simulação em 3D de um campo com centenas de telescópios Cherenkov; vídeos sobre as principais fontes de raios gama; e uma linha do tempo mostrando os principais desenvolvimentos sobre o tema no Brasil e no exterior. Também há um espaço infantil, onde as crianças podem assistir episódios de uma animação composta por três personagens que explicam conceitos da exposição.

A exposição foi idealizada pelos professores Cibelle Celestino Silva e Luiz Vitor de Souza Filho, do Instituto de Física de São Carlos (IFSC) da USP, e pelo astrônomo Gustavo Rojas, da UFSCar, com projeto expográfico da arquiteta Bianca M. Habib Silva.

A professora Cibelle explica que raios cósmicos são partículas que vêm de objetos astrofísicos próximos ou distantes. “Eles podem ser de vários tipos, como elétrons, prótons, núcleos atômicos e até mesmo raios gama, os personagens principais dessa exposição”. As interações de raios cósmicos mais conhecidas são as auroras boreal e austral, que são resultado da interação de partículas produzidas no Sol com o campo magnético da Terra.

A exposição é parte de um projeto temático da Fapesp, coordenado pelo professor Luiz Vitor de Souza Filho. O objetivo é o estudo de astrofísica de partículas e a construção de instrumentos a serem utilizados na colaboração internacional Cherenkov Telescope Array (CTA) – trata-se de um consórcio mundial, composto por dezenas de países, incluindo o Brasil, que visa à construção de dois conjuntos de centenas de telescópios que detectam luz Cherenkov no Chile e nas Ilhas Canárias. “Essa luz é produzida por partículas carregadas que se movem na atmosfera; é uma luz bem fraquinha, por isso são necessários muitos telescópios operando em conjunto para detectá-la”, explica Cibelle.

A exposição pode ser visitada de sexta-feira a domingo, das 20 às 22 horas, no Observatório Dietrich Schiel, localizado na entrada da rua Carlos Botelho do Campus da USP em São Carlos.

Essa notícia também repercutiu nos veículos:
Jornal da Ciência online