Notícia

Agência C&T (MCTI)

Radar mostra chuvas sobre bairros e ruas da Grande São Paulo

Publicado em 20 março 2013

Está em operação para a região metropolitana de São Paulo um radar de dupla polarização de alta precisão que mostra uma série de informações sobre chuvas em tempo quase real. O equipamento faz parte do Projeto Chuva, financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), reunindo diversas instituições de pesquisa sob a coordenação do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe/MCTI).

Um dos objetivos do projeto é prever tempestades e mapear as chuvas por bairros de acordo os diferentes tipos de sistemas que atuam na região.

Além de obter dados para pesquisa, o radar integra um sistema de previsão e monitoramento de chuvas - o SOS Chuva São Paulo, que pode ser acompanhado pela internet. Associado ao Google Earth, o sistema é capaz de trazer detalhes sobre as chuvas ao nível de ruas.

O coordenador do projeto, o pesquisador do Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) do Inpe, Luiz Augusto Machado, destaca que o SOS Chuva São Paulo poderá ser uma ferramenta bastante útil a tomadores de decisão, como a defesa civil, que atuam com o objetivo de minimizar os impactos das chuvas nesta época do ano.

Modelo

O sistema também poderá servir como modelo a um sistema de prevenção a eventos severos. Como ele é aberto, qualquer usuário da internet pode acessar a página e verificar, por exemplo, se há tempestades nas proximidades ou verificar o deslocamento das chuvas na próxima meia hora.

O radar foi instalado próximo à Represa Billings, na Empresa Metropolitana de Águas e Energia, e complementará as medidas de outros equipamentos para ajudar a compreender com maior precisão e profundidade os mecanismos dos diferentes regimes de chuva que atuam na região. Campanhas similares já foram realizadas em Alcântara (MA), Fortaleza (CE), Belém (PA), Vale do Paraíba (SP) e Santa Maria (RS).

O uso do radar para a região metropolitana de São Paulo não estava previsto inicialmente pelo projeto. Segundo Machado, o equipamento foi colocado em operação pelo interesse na previsão imediata e nos eventos extremos sobre um grande centro urbano. A decisão também levou em conta o fato de que o próximo experimento será realizado somente em 2014 em Manaus.

Prejuízos

Um estudo realizado pelo professor Eduardo Amaral Haddad, do Departamento de Economia da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP), e por sua mestranda Eliane Teixeira dos Santos, estima que o prejuízo ao país com enchentes em São Paulo ultrapassa R$ 700 milhões por ano.

De acordo com a pesquisa, cada ponto de alagamento formado na capital paulista após uma chuva forte provoca um prejuízo diário de mais de R$ 1 milhão ao país. Com 749 pontos de alagamento identificados na cidade, as perdas anuais no âmbito do município chegam a quase R$ 336 milhões. E, com o espraiamento dos efeitos pelas longas cadeias de produção e renda, o prejuízo vai a mais de R$ 762 milhões.

Os pesquisadores trabalharam com dados de 2008. Uma atualização, até 2013, está sendo finalizada e será apresentada na dissertação de Eliane. A estimativa do prejuízo por ponto de alagamento faz parte desse novo conjunto numérico.

Texto: Ascom do Inpe e Agência Fapesp