Notícia

Revista Globo Rural

Queijo artesanal ganha apoio da ciência

Publicado em 01 agosto 2018

Por Vinicius Galera

Produtores do bicentenário queijo Canastra, fabricado em municípios dos arredores da serra de mesmo nome, em Minas Gerais, ganharam um centro de pesquisas. Lançada em junho, durante o Festival do Queijo Canastra de São Roque de Minas, a rede tem como fim integrar pesquisadores que trabalhem com queijos artesanais para viabilizar parcerias e facilitar o intercâmbio de informações e recursos.

"Os produtores de queijo artesanal precisam ter um melhor entendimento do que precisam fazer para produzir um queijo de qualidade e seguro para o consumo e atender à legislação", explica Bernadette Dora Gombossy de Melo Franco, professora da FCF-USP e coordenadora do Food Research Center, entidade apoiada pela Fapesp e que reúne equipes multidisciplinares de instituições de pesquisa paulistas.

Há um ano e meio, pesquisadores do FoRC trabalham com microbiologia e segurança alimentar junto a produtores da região. Bernadette explica que os queijeiros mineiros são muito empíricos. "Em geral, eles fazem as coisas direito, baseando-se na experiência passada de geração para geração, sem saber muito bem a ciência por trás disso. Nosso objetivo é ajudá-los a entender o que eles fazem e tentar contribuir para resolver a questão da comercialização dos queijos artesanais de forma segura.''