Notícia

MSN

Quanto dinheiro é preciso para começar um negócio?

Publicado em 05 outubro 2015

Por Marcelo Nakagawa

Em teoria, bons negócios exigem menos recursos do que os empreendedores imaginam. Enquanto negócios ruins sempre exigirão muito mais dinheiro do que está disponível. Isto ocorre porque bons negócios atraem mais clientes, investidores e parceiros. Também são mais eficientes e, por isso, gastam melhor e menos os recursos que têm.

Bons negócios resolvem um problema bem definido e urgente dos clientes muito melhor do que os demais concorrentes. Bons negócios são criados por empreendedores competentes e complementares que sabem fazer bem mais com bem menos. Bons negócios são bem planejados.

Dos planejamentos, um dos mais importantes é o financeiro. No planejamento financeiro define-se quanto é necessário para começar e manter um negócio. O planejamento financeiro nada mais é do que uma planilha com absolutamente todas as projeções de entradas e saídas de caixa para os próximos anos.

O planejamento financeiro deve chegar às seguintes conclusões:

1 - Quanto preciso investir para garantir que tenha um bom negócio funcionando no dia da inauguração? É o investimento em despesas pré-operacionais e ativos fixos, por exemplo.

2 - Quanto preciso investir em capital de giro? É o dinheiro que fica parado no caixa da empresa e, principalmente em estoques de produtos acabados, em transformação e matéria-prima.

3 - Quanto preciso investir até a empresa atingir o ponto de equilíbrio? Alguns tipos de negócio, tipicamente, geram fluxo de caixa negativo por um período até as entradas de caixa (vendas, principalmente) superarem as saídas de caixa. Até isto acontecer, o empreendedor terá que colocar na empresa para que esta tenha condições de honrar suas obrigações financeiras como pagamento de fornecedores e tributos.

4 - Quanto dinheiro preciso para sobreviver até conseguir fazer retiradas adequadas da empresa?

A soma destas necessidades (atualizadas pela inflação) é o dinheiro que o empreendedor precisa para começar um negócio. Mas não esteja tão convicto que o valor é este. É preciso criar cenários mais pessimistas, em especial. Talvez a empresa demore um pouco mais para atingir o ponto de equilíbrio, por exemplo.

Mas, se o seu negócio for bom mesmo, desses com grande potencial de crescimento, geração de receitas e lucros, pense em buscar investidores anjo. A Anjos do Brasil (www.anjosdobrasil.net) pode ser um bom começo. Se o seu negócio tiver o potencial de gerar alguma inovação tecnológica, pesquise linhas de recursos para este fim, principalmente o PIPE da FAPESP. Se precisar comprar máquinas e equipamentos, você precisa estudar o FINAME do BNDES.

Também pense em fazer um “test drive” para saber se o negócio é bom mesmo gastando muito pouco. Analise se não seria possível começar como Microempreendedor Individual, onde os investimentos e custos iniciais tendem a ser bem menores. Se bater o teto da MEI logo nos primeiros meses, talvez passe a acreditar que o investimento inicial não deveria ser uma barreira para você criar um grande negócio.

Especialista em empreendedorismo

Marcelo Nakagawa é professor de empreendedorismo do MBA Executivo do Insper.