Notícia

Jornal da Unicamp online

Quando o foco é a comunidade

Publicado em 15 abril 2013

Atendendo ao anseio de várias especialidades médicas, o hospital retomou a casa de quatro centenas de leitos abertos (419), o maior número desde 2001, com novos leitos na Unidade de Terapia Intensiva e na Enfermaria Geral do pronto-atendimento. Em 2012, várias obras foram concretizadas no HC, com a entrega de 233 consultórios climatizados nos ambulatórios e das áreas reformadas na urgência da oftalmologia. Os equipamentos e as reformas foram viabilizados pela Universidade e totalizaram investimentos de aproximadamente R$ 1,8 milhão.

No Hospital da Mulher Prof. Pinotti um dos destaques no quadriênio foi a modernização de suas instalações e equipamentos. Concluiu-se a reforma e ampliação do Bloco Operatório (Centros Obstétrico e Cirúrgico), tendo sido inaugurado o novo espaço com salas de Pré-Parto, Parto e Puerpério (PPP), com ambiente planejado para o parto normal, trazendo um conceito mais humanizado, assegurando-se a qualidade da assistência prestada. Novas salas cirúrgicas foram preparadas e adequadas para a realização de procedimentos cada vez menos invasivos. Também foram substituídos os equipamentos hospitalares mais antigos, com a aquisição, entre outros, de um novo acelerador linear de partículas para radioterapia, tomógrafo computadorizado multislice, sistema de radiologia computadorizada (CR) e ecógrafos 3D na Área de imagem.

Um dos maiores destaques do Hospital Estadual Sumaré (HES-Unicamp), que desde o ano 2000 é administrado pela Unicamp, foi a conquista, em março de 2010, do certificado de acreditação internacional canadense concedida pelo Canadian Council for Health Services Accreditation (CCHSA). O fato inédito situa o HES-Unicamp como o primeiro do interior do país a receber o título. No Brasil, apenas quatro hospitais públicos possuem a acreditação canadense, todos da Grande São Paulo. O certificado internacional, válido por três anos, exige que as instituições brasileiras em busca da acreditação canadense tenham a certificação da Organização Nacional de Acreditação (ONA) em nível máximo. A certificação canadense tem sido referência para vários países em todo o mundo.

No Hemocentro, o quadriênio foi marcado por avanços tecnológicos, científicos, assistenciais e de ensino. Entre as realizações registradas, destacam-se o aumento significativo da abrangência de distribuição de hemocomponentes; incremento tecnológico do Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário, com número crescente de bolsas congeladas; incremento exponencial da coleta e processamento de amostras de doadores voluntários do Redome (registro de doadores de medula óssea); construção e implantação de farmácia de quimioterapia antineoplásica para doenças onco-hematológicas; renovação de equipamentos para diversos laboratórios; e implantação, nas dependências do Hemocentro, do Instituto Nacional Ciência e Tecnologia do Sangue (INCTS), ligado ao Ministério da Ciência e Tecnologia, CNPq e Fapesp.

O Gastrocentro, por sua vez, buscou uma adequação de suas atividades, que visaram melhorar as condições assistenciais com a aquisição de equipamentos, incorporação de procedimentos, criação de novos ambulatórios e contratação de profissionais. Além dos procedimentos diagnósticos, a unidade manteve, neste período, média superior a 18 mil atendimentos ambulatoriais/ano, além de número superior a mil atendimentos/ano pós-transplante hepático nos últimos dois anos.

Texto: Redação