Notícia

PUC-São Paulo Online

PUC-SP supera 20 mil teses e dissertações e abre três novos cursos

Publicado em 21 março 2011

A pós-graduação da PUC-SP começa o ano letivo de 2011 com uma expressiva afirmação de sua pujança acadêmica: em fevereiro, a Universidade ultrapassou a marca de 20 mil dissertações e teses defendidas desde a criação de seus programas, em 1969. Ao mesmo tempo, três novos cursos iniciaram suas atividades: doutorado em Tecnologias da Inteligência e Design Digital, Tidd, e em Relações Internacionais, RI, além do mestrado profissional em Educação nas Profissões da Saúde.

"O número reflete a força acadêmica da PUC-SP, que tem se destacado no cenário da pós-graduação por conta de sua identidade própria", avalia o professor André Ramos Tavares, pró-reitor de Pós-Graduação. "Essa marca não é apenas quantitativa. Significa também um sinal qualitativo, pois foi obtida dentro dos nossos padrões, rigorosos desde o início. É por isso que a pós-graduação da Universidade se firmou e chegou ao nível de respeitabilidade que tem hoje."

O trabalho de número 20 mil foi a tese Direito Regulatório na responsabilidade social das empresas - A promoção do desenvolvimento sustentável pela via da Doutrina Humanista, de Andréa de Melo Vergani (Pós em Direito e funcionária da Consultoria Técnica de Apoio à Gestão-Acadêmica, Consulteg), orientada pelo professor Ricardo Hasson Sayeg (e pela professora Catarina Serra, durante os oito meses em que Andréa passou na Universidade do Minho, em Portugal). Participaram da banca, no último dia 25/2, os docentes Marcelo Figueiredo e Suzana Maria Pimenta Catta Preta Federighi (ambos da PUC-SP), Paulo Dias de Moura Ribeiro (UnG) e Tânia Mara Ahualli (Fadisp).

A primeira dissertação foi apresentada em 1971, por Ana Maria Saul (hoje docente do Pós em Psicologia da Educação), com orientação do professor Joel Martins: Método da pesquisa em ação aplicado ao treinamento de professores. Até o dia 2/3, a Universidade havia chegado ao estudo de número 20.011 (15.524 dissertações e 4.487 teses).

Além da marca histórica, a pós-graduação abriu em 2011 mais três cursos. "O doutorado em Tidd é capitaneado pela professora Maria Lúcia Santaella, reconhecida cientista, acadêmica, pesquisadora muito ativa. Ela tem procurado conduzir o mestrado com rigor, e agora conseguiu, com seu grupo, o reconhecimento do nível mais elevado do curso. O doutorado em RI é um desdobramento não apenas natural [do mestrado] como também aguardado, uma vez que o Programa Santiago Dantas, parceria nossa com a Unesp e a Unicamp, é reconhecido e já está consolidado na área", observa o pró-reitor.

"Já o mestrado profissional em Educação nas Profissões da Saúde reflete um interesse da própria Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Desde o final de 2009, a Capes vem incentivando os mestrados profissionais para suprir a falta de profissionais capacitados no Brasil, principalmente em áreas cuja demanda aumentará com a realização de dois grandes eventos esportivos mundiais, a Copa e as Olimpíadas. O nosso novo curso se insere no contexto específico do campo da Saúde, atendendo a um edital da agência", completa.

Os três cursos são pontuados por uma característica comum: a interdisciplinaridade. Para Tavares, embora sejam ações integradas, o fato "pode refletir uma tendência, não tanto da PUC-SP, mas do ambiente externo do segmento educacional e das agências de fomento". "O mercado de trabalho também apresenta demandas, no caso mais específico dos mestrados profissionais, e pressiona a Academia, que acaba incorporando essas necessidades", afirma.

O professor comemora os recentes resultados, mas projeta mais trabalho este ano para melhorar ainda mais a qualidade da pós-graduação. Entre as ações da Pró-Reitoria, Tavares destaca a busca de parcerias e convênios, tanto com as agências de fomento (Capes, CNPq, Fapesp, Finep) quanto outras entidades e empresas públicas que tenham interesse em cooperar com a Universidade e capacitar seus funcionários (como a recente parceria firmada com a Vale do Rio Doce, o Observatório da Educação e o Conselho Nacional de Justiça). Também aponta a necessidade de investir ainda mais na internacionalização, ampliando as parcerias com instituições de ensino superior estrangeiras - para este ano, afirma, já há projetos em andamento para cooperação com instituições da Europa e das Américas do Norte e Latina. Tavares declara ainda que a Pró-Reitoria pretende "insistir no apoio aos mestrados profissionais em Engenharia, já aprovados nas instâncias internas".