Notícia

Portal Bueno

Prudente sedia encontro internacional para melhoria da produção agropecuária

Publicado em 25 março 2019

Pesquisadores do Brasil e do Reino Unido estarão reunidos na próxima semana em Presidente Prudente para debater pesquisas que sinalizam a redução de custo na produção agropecuária e menos agressão ambiental, mediante o uso de tecnologia. A cooperação internacional iniciada em 2016 busca eficiência do uso de nitrogênio em sistemas de produção agropecuária.

O experimento nesta região, que concentra o maior rebanho bovino do estado de São Paulo - com 1,8 milhões de cabeças –, é feito com a fixação biológica de nitrogênio orgânico utilizando feijão guandu e java em pastagem de capim mombaça, sendo que as duas leguminosas servem para nutrição animal.

A programação do encontro será intensa, com quatro dias de atividades, de terça (26) a sexta-feira (29). Será basicamente composta por debates centralizados na Unoeste, no campus II. Nos dois primeiros dias, em três períodos: manhã, tarde e noite. No último dia, somente pela manhã, das 8h30 às 12h.

Porém, uma programação diferenciada está programada para a quinta-feira (28). Nesse dia haverá atividade de campo nas fazendas da universidade e do agropecuarista Carlos Viacava. Pela manhã, será realizada na Fazenda Experimental da Unoeste, das 8h30 às 11h30, em Presidente Bernardes. Durante a tarde, será na Fazenda Campina, no município de Caiuá.

Serão apresentados os resultados da pesquisa. Na Fazenda Experimental, os resultados com o experimento com manejo de nitrogênio. Já na Fazenda Campina, será mostrado um exemplo de trabalho bem sucedido com o manejo da integração lavoura pecuária.

Pelo Reino Unido estão envolvidos pesquisadores da rede Nottingham, centro de pesquisas Rothamsted e as universidades de Bangor e Aberdeen. Pelo Brasil, a Unoeste, o Instituto Agronômico de Campinas (IAC), Instituto Federal Goiano, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) de Goiás, Universidade de São Paulo (USP), Universidade Estadual do Maranhão (Uema), Universidade Federal de Goiás (UFG) e Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

O envolvimento dos pesquisadores brasileiros ocorre com o aporte financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Fundação de Amparo à Pesquisa e Desenvolvimento Científico do Maranhão (Fapema) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg).

Ao longo dos últimos três anos, os pesquisadores tiveram encontros pontuais e presenciais no Brasil e no Reino Unido, mas se mantiveram o tempo todo interligados pelo Nucleus, grupo virtual criado para os estudos científicos que buscam melhoria da eficiência do uso de nitrogênio em cultivos consorciados de pastagens e grãos.

As informações são da Assessoria de Imprensa da Unoeste.