Notícia

Correio da Paraíba

Protótipos automáticos

Publicado em 09 novembro 2008

O grupo da USP (Universidade de São Paulo desenvolveu protótipos automáticos para detectar a ação de substâncias gasosas dentro do órgão. Essas substâncias, principalmente o ácido acético e o ácido fórmico, são liberadas pela degradação da madeira.

Em combinação com fenômenos de condensação, criam condições favoráveis para causar sérios danos às partes metálicas dos órgãos.

Principal inimigo

“Embora pareça um material inerte, a madeira é o principal inimigo dos tubos de chumbo”, diz Cavicchioli. Paralelamente à colaboração com o programa europeu, ele iniciou um projeto. Jovem Pesquisador, financiado pela FAPESP, para avaliar como a combinação de diferentes fatores ambientais leva à degradação de vernizes com obras de arte.