Notícia

Revista Bem-Estar

Proteína do abacaxi

Publicado em 08 julho 2018

Pesquisadores da universidade de Sorocaba (Uniso) e Unicamp, com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), produziram um composto na forma de gel ou emplastro que tem como base a proteína do abacaxi, chamada de bromelina, e a Divulgação celulose bacteriana- dois elementos que já vinham sendo estudados há tempos para aplicações nas áreas médica, farmacêutica e cosmética.

"Essa mesma característica faz com que ela remova as células mortas na ferida, limpando-a e acelerando sua cicatrização", explica Janaína Artem Ata ide, da Unicamp, autora principal do artigo publicado no periódico Scientific Reports, do grupo Nature, que mostra os resultados do trabalho conjunto.