Notícia

News Rondônia

Projetos de pesquisa em saúde suplementar recebem apoio do IESS e da Fapesp

Publicado em 22 abril 2016

São Paulo, 22 de abril de 2016 – O Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) selecionaram quatro propostas de pesquisa para receber bolsas pela primeira chamada de projetos de pesquisa acadêmica das duas organizações. Trata-se da primeira parceria entre o Instituto e a Fundação estadual para fomentar estudos e debates sobre a sustentabilidade da saúde suplementar brasileira. Os projetos escolhidos serão desenvolvidos nos próximos dois anos.

O superintendente executivo do IESS, Luiz Augusto Carneiro, destaca a qualidade dos projetos selecionados. “São projetos sofisticados, de grande densidade acadêmica, provenientes de grupos de pesquisa de excelência”, avalia. “Temos expectativa de que os trabalhos serão de alto nível e, com certeza, vão contribuir com boas propostas para a sustentabilidade da saúde suplementar”, adiciona.

Além da concessão de bolsas de pesquisa em conjunto com a Fapesp, o IESS também realiza, há cinco anos, o Prêmio IESS de Produção Científica em Saúde Suplementar, voltado para trabalhos de pós-graduação (especialização, MBA, mestrado ou doutorado) nas áreas de Economia, Direito e Promoção da Saúde.

Os pesquisadores beneficiados com as bolsas são:

Arnaldo Luiz Ryngelblum, da UNIP, com o projeto “Regulamentação da saúde suplementar no Brasil: evolução, tendências e impactos”;

Mario Ferretti Filho, da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Hospital Albert Einstein, com o projeto “Segunda opinião nas indicações de cirurgias de coluna: avaliação de custo-efetividade”;

Alexandre Pereira Salgado Junior, da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP de Ribeirão Preto, com o projeto “Proposta de boas práticas em gestão que colaborem para sustentabilidade financeira de hospitais filantrópicos vinculados a saúde suplementar”; e,

Gustavo Cardoso Guimarães, do A.C. Camargo Câncer Center/FAP, com o projeto “Analise da custo-efetividade do rastreamento e das modalidades terapêuticas do câncer de próstata”.