Notícia

Agência USP de Notícias

Projeto utiliza história de Diadema para alfabetizar adultos e crianças

Publicado em 15 outubro 2001

Por Valéria Dias
A cidade de Diadema está sendo contemplada com um projeto que utiliza a história local do município como eixo fundamental no processo de alfabetização de crianças e adultos. Sob a coordenação da professora Zilda Iokói, da Faculdade de Filosofia. Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, a iniciativa está sendo implantada neste mês em toda a rede municipal da cidade, atingindo 44 escolas, 1.200 professores e 50 mil estudantes. Neste método, as experiências dos alunos são usadas como suporte para a alfabetização. O material utilizado tem como base dois livros - um para as crianças, outro para os adultos - de histórias (lecionais com o personagem Diadorim. "Escolhemos o mesmo nome do personagem do livro Grande Sertão: Veredas, do Guimarães Rosa, pois é um nome parecido com Diadema, podendo ser utilizado por homens e mulheres", explica Zilda. "Também escolhemos Diadorim pois em Diadema há muitos nordestinos". Nos dois livros, cujas histórias começam no nordeste. Diadorim vivência situações rotineiras em Diadema. De acordo com Zilda, a identificação dos estudantes com o personagem é grande, pois a experiência de vida das crianças e adultos acaba sendo levada até a sala de aula, facilitando o aprendizado. "Tivemos uma melhoria no desenvolvimento do letramento em torno de 60% e o número de desistências é menor". Ela também afirma que o método permite um rendimento mais acelerado e uma incorporação da cultura letrada como um valor agregado e conhecido desses estudantes. "Os alunos percebem que são sujeitos ativos e não ignorantes que vão à escola só para aprender sílabas". Planejado para que várias matérias e áreas do conhecimento pudessem ser abordadas, o material completo, além dos dois livros de histórias ficcionais, é composto por um Kit contendo 20 pranchas fotográficas, 29 mapas e plantas, uma fita cassete com músicas da região, uma fita de vídeo, um CD-Rom, um livro síntese da história de Diadema e do Cirande ABC e um livro dos procedimentos teóricos para o uso de diferentes linguagens em sala de aula. Cerca de 1000 kits estão sendo distribuídos aos professores de Diadema. O projeto foi elaborado e testado ao longo dos últimos quatro anos em sete escolas da cidade por uma equipe formada por sete professores, sete diretores, sete bolsistas da USP e três historiógrafos do Centro de Memória de Diadema. À medida que o material foi sendo produzido, foram realizados testes com os alunos, para que eventuais problemas pudessem ser corrigidos. Quando a fase de pesquisa e elaboração do material foi concluída, realizou-se o treinamento de 1200 professores da rede municipal através de cinco oficinas. Para Zilda, a participação dos diretores de escola foi muito importante. "Eles fizeram parte do grupo que elaborou e aplicou o projeto acadêmico, deixando de lado o caráter burocrático do trabalho que costumam realizar". O projeto contou com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), da Pró-reitoria de Cultura e Extensão Universitária, da Pró-reitoria de Pesquisa e da Prefeitura Municipal de Diadema. "A Fapesp foi fundamental, pois forneceu bolsas para os sete professores e equipou as sete escolas com computador, scanner e kit multimídia". Segundo Zilda, a Prefeitura de Diadema ficou responsável por equipar as outras 44 escolas da rede municipal da cidade. A entrega dos kits acontecerá no dia 17, às 19 horas, no Teatro Clara Nunes, que fica na Rua Graciosa. 300, em Diadema. Mais informações: (0XX11) 3818-3701 ramal 215 ou e-mail zilda@usp.br