Notícia

Agência C&T (MCTI)

Projeto preserva memória de O Imparcial

Publicado em 14 novembro 2007

Um projeto financiado pelo jornal O Imparcial possibilitou a catalogação dos mais de 15 mil exemplares do periódico, no período de 1939 a 2006, que estão sob a guarda do Museu e Arquivo Histórico Municipal Prefeito Antonio Sandoval Netto e da Biblioteca da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Presidente Prudente. Um banco de dados com estado de preservação, existência e localização dos exemplares do impresso, são algumas das informações que poderão ser adquiridas, através da pesquisa digital pela data de publicação do jornal.

"O Jornal O Imparcial na história de Presidente Prudente" é o título do trabalho de iniciação científica desenvolvido pelo estudante de Pedagogia da Unesp, Alexandre Gonçalves Negri, sob a orientação das professoras Ruth Künzli, do Departamento de Planejamento, Urbanismo e Ambiente, e Rita Filomena Andrade Januário Bettini, do Departamento de Educação.

O projeto, que começou em agosto de 2005 e será concluído no começo do próximo mês, consistiu na catalogação dos exemplares do jornal O Imparcial, na busca pela preservação da memória histórica. O sistema deverá estar funcionando em janeiro do ano que vem.

Foram registrados em ficha e cadastrados em banco de dados, os jornais referentes ao período de 1939 a 1966, que pertencem ao museu municipal, e os de 1967 a 2006, que estão no acervo da Biblioteca da Unesp. Com as fichas digitalizadas, o público poderá consultar no museu e na biblioteca da Unesp, os exemplares do periódico.

Segundo Negri, foi um trabalho "extenso", que exigiu a busca dos exemplares pela data. "O trabalho também tem seu valor histórico e cultural, pois os jornais trazem a memória não só dos fatos que marcaram Presidente Prudente e região, mas do Brasil e do mundo", afirma.

Foi o que percebeu o acadêmico no decorrer do projeto, quando entrou em contato com publicações sobre o assassinato do prefeito de Prudente, Florivaldo Leal (1965), a Era Vargas (1930-1945) e a 2ª Guerra Mundial (1939-1945), por exemplo. "O Imparcial tem uma coleção de histórias para ser contada", aponta o estudante.

Com a catalogação do acervo jornalístico, os pesquisadores, estudantes, educadores e a comunidade poderão consultar os exemplares do jornal na banco de dados formatada pelo professor Fábio Camargo Bandeira Vilella, do Departamento de Educação da Unesp.

Para Negri, a ferramenta digital para consulta contribui para a preservação dos periódicos e facilita a busca pelo material desejado. "O pesquisador saberá se o exemplar existe, se está no museu ou na Unesp, se pode ser encontrado avulso ou está encadernado e qual o estado de conservação, bom regular, além de saber se o material está completo", conta.

Na base de dados poderão ser encontrados a partir do exemplar de nº 21, publicado a 23 de abril de 1939 até a edição de nº 17.056, publicado a 31 de dezembro de 2006. Foram preenchidas manualmente 15.042 fichas, cujas informações sobre o periódico foram alimentadas no banco de dados. A catalogação do acervo do Jornal O Imparcial é uma continuação do Projeto "Política cultural no município de Presidente Prudente: o Museu Histórico e o seu papel educacional e turístico" desenvolvido de 2000 a 2005 pelos alunos dos cursos de Geografia e Pedagogia da Unesp, cujo objetivo foi catalogar o acervo fotográfico e os objetos históricos do museu municipal.

A atividade, financiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), também abrangeu o registro dos jornais mais antigos de Presidente Prudente — "A Voz do Povo" e o "Correio da Sorocabana" — que datam de 1926 a 1935 e que foram micro-filmados e suas fichas digitalizadas para preservar os periódicos.

Negri participou do projeto mantido pela Fapesp, tendo catalogado as fotografias que pertencem ao museu. Para a atividade de preservação da memória histórica prudentina através da catalogação dos exemplares do jornal O Imparcial, o acadêmico fez busca também no acervo do Centro Integrado de Informação "Doutor Pedro Furquim" (Biblioteca Municipal). A idéia era encontrar publicações que não compunham o acervo do museu, entretanto, Negri verificou que a Biblioteca Municipal guardava os exemplares por dois anos, depois os doavam ao museu.

Como, anteriormente, arquivo histórico e municipal não tinha o controle dos exemplares, uma vez que os periódicos não estavam catalogados, alguns deles não foram encontrados. Já os exemplares de 1967 a 2006, que integram o acervo da Biblioteca da Unesp estão completos.

Preocupado com a memória histórica de Prudente, antes de concluir o projeto Negri fará treinamento à equipe de funcionários do museu para que a banco de dados continue atualizada, com os novos exemplares que chegarem ao local.

Conforme o aluno, além de manter viva a memória dos 68 anos do jornal O Imparcial, o projeto contribui para a sua formação. "A educação não está só na sala de aula. A formação cultural e do aluno crítico está ligada à formação educacional. O problema da educação não é só de aprendizagem, é cultural também. O museu é uma extensão do ambiente escolar", discorre Negri.