Notícia

O Liberal (PA)

Projeto Genoma começa trabalhos em São Paulo

Publicado em 12 junho 2001

Por SÃO PAULO - Agência Estado
Uma reunião realizada ontem, na sede da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), marcou o início dos trabalhos do projeto Genoma Clínico, que pretende estudar novas formas de diagnóstico e tratamento do câncer. Quatro grandes grupos foram formados pelas 19 equipes de pesquisa envolvidas. "Cada um deles vai estudar tumores de diferentes tipos - hematológicos, gastrointestinais, neurológicos (gliomas) e de cabeça e pescoço", explicou o coordenador do projeto, Marco Antonio Zago, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (USP). Na semana que vem, cada grupo decidirá que tipo de câncer dentro dessas quatro categorias da doença, vai pesquisar. Sete equipes de patologistas e três de epidemiologistas participarão do trabalho de todos os grupos. Com o apoio do Instituto Ludwig de Pesquisas sobre o Câncer, esses médicos, patologistas e epidemiologistas, que trabalham em atividades clínicas e cirúrgicas relacionadas à oncologia, vão aplicar na prática as informações obtidas no projeto Genoma Humano do Câncer (GHC). O projeto mapeou genes que estão envolvidos com a ocorrência de cânceres e já produziu mais de um milhão de seqüências genéticas de tumores. Segundo Zago, durante dois anos, os pesquisadores coletarão material biológico e dados clínicos de pacientes com câncer para verificar a evolução clínica de tumores e a resposta ao tratamento a que estão se submetendo. As informações irão para um banco de dados e, em seguida, serão transmitidas a laboratórios dedicados à análise da expressão gênica (alterações no DNA) de células tumorais.