Notícia

CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Projeto do INCT da Criosfera e do PROANTAR é premiado com bolsa de pesquisa do Google

Publicado em 25 agosto 2017

Projeto do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia da Criosfera (INCT da Criosfera) que está desenvolvendo estações autônomas de baixo custo para medir o impacto das mudanças climáticas nas geleiras foi um dos vencedores do Programa de Bolsas de Pesquisa Google para a América Latina (LARA 2017), anunciados nessa quinta-feira, 24, em evento no Campus São Paulo , espaço do Google para empreendedores.

A edição 2017 do programa selecionou 27 projetos entre 281 propostas submetidas, sendo 17 do Brasil, três do Chile, três do México, dois da Colômbia, um da Argentina e um do Peru. Pela primeira vez, o anúncio dos vencedores foi realizado no Campus São Paulo do Google, para promover uma ampla discussão entre os acadêmicos agraciados, a comunidade de startups e dirigentes de instituições de pesquisa da América Latina.

No evento, acontece, ainda, o Painel sobre Inovação e Investimentos em Pesquisa, do qual participou o Diretor de Cooperação Institucional do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), José Ricardo de Santana, além do Diretor Técnico da FAPESP, Carlos Américo Pacheco, do professor Virgílio de Almeida e da pesquisadora Cristina Nader, da Universidade Federal Fluminense (UFF), e uma das vencedoras do LARA 2017.

O projeto contemplado

O INCT da Criosfera é financiado pelo CNPq e já foi premiado na edição 2016 do Programa. A equipe do Instituto é composta por 83 doutores (dos quais 16 com bolsa de Produtividade em Pesquisa (PQ) do CNPq e 22 de instituições internacionais), 33 mestres, 25 graduados e 6 alunos de graduação e 20 instituições de 3 regiões do Brasil e 19 instituições internacionais.

O trabalho do Instituto contemplado com o Prêmio é coordenado pelo bolsista PQ Jorge Arigony-Neto, professor do Instituto de Oceanografia da Universidade Federal do Rio Grande (FURG) e está sendo desenvolvido como parte da tese de doutorado do aluno Guilherme Tomaschewski Netto, do Programa de Pós-Graduação em Oceanografia Física, Química e Geológica da FURG.

O projeto propõe o desenvolvimento de equipamentos de baixo custo e código aberto, que permitam acompanhar de forma periódica os impactos climáticos nas geleiras, além de transferir remotamente essas informações. Segundo o Prof. Jorge Arigony, a ideia para o projeto surgiu através das atividades de campo do INCT da Criosfera, quando os pesquisadores identificaram a necessidade de medir com maior precisão o derretimento na superfície das geleiras, para poder melhorar as estimativas de contribuição dessas para o aumento do nível médio dos mares.

Com informações do INCT da Criosfera