Notícia

Revista DBO

Projeto de Agricultura Familiar em nova etapa

Publicado em 01 maio 2000

A Embrapa Sudeste, de São Carlos. SP lançou no mês passado nova etapa do Projeto Agricultura Familiar Leite. O programa, que vinha atendendo oito propriedades na região e outras oito em Muríaé. MG, agora também se estende aos municípios de Jales e Votuporanga, no interior paulista. A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo liberou R$ 8.000 para essa nova etapa. Esse valor soma-se aos R$ 15.000 do ano passado, quando começou o trabalho. O programa tem duração prevista de três anos, com possibilidade de prorrogação. O projeto, que visa aumento de produtividade e eficiência nas propriedades, não oferece pacote tecnológico fixo. As soluções são indicadas caso a caso por oito pesquisadores da Embrapa envolvidos na ação, que costura parcerias com cooperativas, órgãos de extensão, sindicatos rurais, universidades e secretarias municipais. A Embrapa visita cada propriedade atendida uma vez por mês. A assessoria no dia-a-dia é dada pelas entidades locais. Uma preocupação é comum a todas as situações: incutir nos proprietários rurais a noção de gerenciamento de custos. Com o extenso nome oficial "Implantação, Acompanhamento e Avaliação de Tecnologias Agropecuárias em Estabelecimentos Familiares com Produção de Leite", o programa propicia respostas significativas, "por mínima que seja a mudança", relata o agrônomo Airton Manzano, pesquisador da Embrapa na área de nutrição. O projeto realiza um levantamento das condições de cada propriedade: da análise do solo até exames sanitários do rebanho, tudo é examinado. O proprietário responde a questionário que chega a 70 perguntas. "Apenas com a adoção do pastejo rotacionado nas águas e suplementação na seca com cana e uréia, houve dois exemplos de criadores que dobraram a produção", relata Manzano. Cada propriedade no projeto se torna uma "unidade demonstrativa", diz. São realizados dias de campo, assim que os primeiros resultados se tornam consistentes, para multiplicar as informações entre os vizinhos. A Embrapa estima em mais de 4 milhões os pequenos estabelecimentos rurais no País. Representam 75% do total. Manzano considera que o projeto possa ser reproduzido em outras regiões do País que também contem com unidades da Embrapa.