Notícia

Jornal da Cidade (Bauru, SP) online

Projeto contra cárie concorre a prêmio

Publicado em 18 outubro 2014

Pesquisadores da Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB) da Universidade de São Paulo (USP) encontraram uma forma eficaz de prevenção da cárie, considerada o maior problema de saúde bucal no Brasil. Trata-se de um verniz à base de xilitol que, quando aplicado nos dentes, repõe o mineral perdido na cárie ou erosão dentária.

A iniciativa partiu da professora da FOB Marília Afonso Rabelo Buzalaf e está entre as finalistas do Prêmio Saúde 2014, realizado pela revista Saúde, da Editora Abril. A premiação acontece no dia 25 de novembro, em São Paulo. “O vencedor será anunciado dentre os três trabalhos finalistas na categoria de Saúde Bucal”, disse Buzalaf.

 

Inovação

O xilitol é uma substância antimicrobiana e remineralizadora, presente em frutas e também produzido industrialmente a partir de sabugo de milho. O componente já é utilizado como substituto do açúcar em chicletes desenvolvidos para inibir a cárie. Porém, de acordo com a pesquisa, para conseguir a proteção por meio da goma, seria necessário ficar mascando por 15 minutos, pelo menos, cinco chicletes ao dia – algo nada prático.

Marília Buzalaf observa que a forma de aplicação utilizando chicletes faz com que a concentração do produto na saliva diminua rapidamente. “Devido a esta limitação, pensamos em inserir o xilitol num verniz, que é como se fosse um esmalte que fica em contato com os dentes por um tempo maior e, desta maneira, aumenta os níveis de xilitol na saliva e o seu efeito anticáries”.

O estudo do xilitol em verniz foi iniciado em 2007. “Havia a necessidade de aumentar suas concentrações na saliva por mais tempo e, por isso, nós usamos como veículo um verniz, que fica aderido ao dente por até 12 horas”.

Com apoio da FOB/USP e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), os estudos prosseguem. “Estamos conduzindo um estudo clínico para ver se o xilitol é capaz de reparar lesões de cárie em crianças”.

 

Comercialização

A comercialização do xilitol em verniz ainda não está sendo feita. De acordo com Marília Buzalaf, a universidade está aceitando empresas que queiram licenciar a tecnologia para produção em escala comercial. “A aplicação será feita em consultório, por um cirurgião dentista”, explica.

A notícia boa é que o produto é barato e fácil de produzir. “O processo de produção é simples e tem custo baixo, podendo atender a população carente e ser utilizado em Saúde Pública”, garante.

 

Prêmio

“A USP-Bauru vem sendo finalista e vencedora em várias edições do Prêmio Saúde, na categoria Saúde Bucal, o que reforça a excelência da nossa instituição em ciência, tecnologia e inovação”, orgulha-se a pesquisadora Marília Buzalaf. Sobre concorrer com o xilitol em verniz, ela ressalta que foram mais de 400 inscrições e apenas três pesquisas concorrem ao prêmio. “É um processo muito competitivo. Sinto-me bastante satisfeita por ver meu trabalho reconhecido, após sete anos de estudos”.

O site do prêmio é http://www.premiosaude.com.br/finalistas.