Notícia

Jornal do Brasil

Projeto brasileiro é capa da "Nature"

Publicado em 12 julho 2000

Por VILMA SILVEIRA
BRASÍLIA - Pesquisa brasileira que resultou no seqüenciamento da bactéria Xylella fastidiosa, que causa a praga do amarelinho e ataca principalmente os laranjais, será capa da edição desta quinta-feira da revista britânica Nature. Ao participar ontem da conferência "Os desafios do Programa Genoma", na 52ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), o coordenador da pesquisa, Andrew Simpson, do Instituto Ludwig, disse não saber se esse conhecimento levará a um combate direto á doença mas, segundo ele, com certeza acelerará as pesquisas. A Xylella fastidiosa é a primeira bactéria no mundo que causa doença em vegetal a ter seu genoma seqüenciado. O projeto Xilella foi iniciado em outubro de 1997. "A idéia básica era quebrar o DNA em pedaços e seqüenciá-lo. Não foi suficiente. Em março de 1999 começamos a seqüenciar, de novo, em pedaços muito pequenos. Em janeiro deste ano conseguimos a seqüência completa", resumiu Simpson. Com liderança nessa área, Simpson e sua equipe foram convidados pelo governo americano para seqüenciar outro genoma: o de uma variante da bactéria que ataca as uvas, muito comum nu Califórnia. "Achamos que a comparação do genoma da Xylella da uva e a do cítrico vai produzir informações para acharmos o ponto fraco da bactéria", afirmou. Simpson e sua equipe estão empenhados ainda em outro desafio: o Projeto Genoma Humano do Câncer, A um custo de US$ 20 bilhões, a pesquisa começou em março de 1999 "com o objetivo não de seqüenciar o genoma humano, mas de seqüenciar apenas alguns genes", explicou. Apenas 3% do DNA humano expressam genes e estes codificam proteínas. "Estamos tentando identificar os genes". Segundo Simpson, já foram feitas cerca de 500 mil seqüências de genes humano, número dez vezes superior ao do projeto Xylella. Ele garantiu que até o fim do ano serão feitas um milhão de seqüências. No ano que vem, a pesquisa entra na sua segunda fase que é a complementação e o aperfeiçoamento das seqüências. Segundo o pesquisador, todas as seqüências estarão disponíveis na internet.