Notícia

UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas

Projeto ambiental da Unicamp recebe prêmio do Projeto RAC/Sanasa

Publicado em 27 novembro 2008

As águas que correm por trás do muro do quintal poderiam passar despercebidas ao olhar dos adolescentes do ensino fundamental e médio da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio “Ana Rita Godinho Souza”, nas proximidades do Taquaral. Mas como não estão desapercebidos de conhecimento, eles estão empenhados em ações para melhorar a qualidade ambiental em sua localidade. O estímulo vem do Projeto “Ribeirão Anhumas na escola”, coordenado pelo professor do Instituto de Geociências (IG) da Unicamp Maurício Compiani, que recebe, nesta quinta-feira, às 20 horas, medalha de bronze no prêmio “Projeto de Responsabilidade Social RAC/Sanasa”. A iniciativa tem como parceiros o IG, o Instituto de Biologia (IB) da Unicamp e o Instituto Agronômico de Campinas (IAC).

O projeto, financiado pela Petrobras Ambiental e pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) envolve também professores e alunos da Escola Adalberto Nascimento, envolvidos em atividades no Ribeirão Rio das Pedras. A idéia do projeto é criar grupos de professores que sejam investigadores e envolvam os alunos nessas investigações. Os professores são envolvidos de forma a realizar aulas, pesquisas de campo e até vídeos relacionados à localidade investigada. Desse trabalho, segundo Compiani, surgiram duas produções audiovisuais: um documentário sobre a região do Ribeirão Anhumas, feita por alunos da escola Ana Rita Godinho de Souza, e outra sobre o Rio das Pedras, produzida pela professora Vânia Amaral.

O ofício de preservar o ambiente é transmitido de mão em mão. Sai do Instituto de Geociências, que se alia ao Instituto Agronômico de Campinas e ao Instituto de Biologia da Unicamp, para os professores, destes para os alunos e dos alunos de ensino médio para os de quinto a nono ano e, deste, quem sabe, para os de primeiro a quarto ano. Mas, mais que multiplicadores em sua escola, os estudantes querem ser mensageiros de boas práticas também em sua comunidade. No dia 15 de novembro, um grupo de alunos da Escola Ana Rita Godinho de Souza dedicou-se à elaboração de uma Agenda 21 da Escola. Uma das questões que envolvem o trabalho é uma campanha de plantio de mudas, envolvendo a população, para recuperar a fauna da região do Ribeirão Anhumas. Passaram de aprendizes a gestores, incentivados pela participação no projeto.

As questões ambientais globais são enfatizadas o tempo todo nas páginas de livros didáticos ou na mídia. Sem deixá-las de lado, projetos como o “Ribeirão Anhumas” fazem com que o professor, conhecedor dos problemas locais, estimulem o aluno a olhar seu redor. “Partimos das questões globais, como a Amazônia, aquecimento global e, mais recentemente, as enchentes de Santa Catarina para o espaço do aluno”, explica o coordenador. A partir disso, o aluno começa a observar melhor a região, considerando aspectos como, entender fenômenos da natureza, a biosfera e a interação com a sociedade. A equipe busca trabalhar, além de atitudes, o reconhecimento de nascentes, mata ciliar, lixo, industrialização, áreas de risco, entre outros elementos. Alguns dos ingredientes do projeto partem do próprio aluno, que leva as informações que têm sobre o local onde vive.

A indicação e a classificação no prêmio surpreenderam as pessoas envolvidas no projeto. “Lemos a reportagem publicada no Correio Popular (Campinas), mas não sabíamos que se tratava de um prêmio. Foi uma surpresa”, relata Compiani. A equipe do projeto é formada ainda por Eleonore Setz, Luiza Kinoshita, Eliana Martins e Jorge Tamashiro, todos do Instituto de Biologia.