Notícia

Pantanal News

Programação do workshop sobre biodiversidade de MS tem sequência hoje

Publicado em 11 setembro 2009

Por Edemir Rodrigues

Tem sequência hoje (11), às 8 horas, na UFMS, o Workshop sobre o Programa de Ciência, Tecnologia e Informação em Biodiversidade de Mato Grosso do Sul (Biota-MS). O objetivo do programa Biota-MS é inventariar e caracterizar a biodiversidade do Estado, dando suporte científico para sua conservação, monitoramento, avaliação do seu potencial econômico e sua utilização sustentável.

Na ocasião, estão sendo definidas as diretrizes do programa com base na experiência do programa Biota Fapesp, de São Paulo. Inicialmente são recursos da ordem de R$ 3 milhões fornecidos pelo governo do Estado, à Semac, por intermédio da Superintendência de Ciência e Tecnologia (Sucitec) e à Fundect, que vão pôr em prática o programa com o apoio de instituições de ensino e pesquisa.

A ideia é primeiramente levantar dados pré-existentes levantados por instituições de pesquisa, o que vem sendo feito há muitos anos mas os dados estão parados ou arquivados. "Então vamos pegar todas essas informações e consolidá-las. Com isso vamos identificar sombreamentos e lacunas. Os sombreamentos vamos validar e as lacunas vamos nos preparar para atendê-las, como por exemplo, que espécie falta ser estudada, e depois disponibilizar isso em um sistema de informação que ficará disponível tanto para pesquisadores quanto para os governos legislarem e fazerem a gestão da biodiversidade de forma mais consistente", explica João Onofre Pereira Pinto, superintendente de Ciência e Tecnologia da Semac.

Esse banco de dados, ressalta Onofre, é de grande valor também para o setor privado, que poderá fazer uso disso de forma orientada, regulada pelo setor publico, para fazer uso econômico dessa biodiversidade: "É um programa amplo, que está envolvendo hoje por exemplo a UFMS, UEMS, UFGD, UCDB, Uniderp, Embrapa. Mas isso não significa que outras instituições não poderão se juntar a esse programa. Podemos ter também empresas privadas que atuam no Estado e que, de alguma forma, interagem direta ou indiretamente com o meio ambiente, de forma que possam fazer seu trabalho orientada pelo programa e não de forma aleatória".

Intercâmbio de experiências

Na abertura do evento ontem (10), o coordenador do Biota Fapesp, Carlos Alfredo Joly, ministrou palestra sobre o panorama geral do Biota da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, relatando que já há uma tradição de cooperação entre pesquisadores de Mato Grosso do Sul e São Paulo e que agora essa parceria entre Fapesp e Fundect vai facilitar e estimular esse intercambio, gerando resultados positivos.

"O Biota Fapesp começou a ser discutido em 1996. Levamos basicamente três anos para colocá-lo em uma demanda junto à Fapesp. Conseguimos preencher os requisitos e em março de 2009 ele foi lançado. Funciona como um conjunto de projetos articulados com objetivos comuns dentro do âmbito da conservação da diversidade biológica. A partir daí cria-se um sistema de banco de dados que, além de publicações cientificas, teses e livros, disponibiliza a informação também para a Secretaria de Meio Ambiente, de forma a melhorar as políticas de conservação do Estado, pois vimos a conservação como um dos pilares do desenvolvimento".

"Completamos dez anos agora e estamos desenvolvendo nosso plano estratégico para os próximos dez anos. Acreditamos que parte da experiência que tivemos pode ser repassada. Os erros que cometemos podem ser evitados. Algumas das ferramentas de estrutura de bancos de dados, padronização de coletas e processo de coleções biológicas são parâmetros que podem ser transferidos e utilizados por Mato Grosso do Sul, adaptados à realidade local das necessidades e prioridades do Pantanal, por exemplo, que é muito diversificado - e que não temos nada semelhante no Estado de São Paulo - e também nas outras áreas".

Programação sexta-feira (11)

8 horas - Plenária geral e apresentação dos grupos de trabalho

Coordenação: Prof. Dr. João Onofre Pereira Pinto

8h30 - Grupo 1: Sistema de gestão de informações, estratégia de captação e gestão financeira do Programa Biota-MS.

9 horas - Grupo 2: Biodiversidade aquática.

9h30 - Grupo 3: Diversidade vegetal.

10 horas - Coffee break

10h30 - Grupo 4: Diversidade de invertebrados terrestres.

11 horas - Grupo 5: Diversidade de vertebrados terrestres.

11h30 - Grupo 6: Bioprospecção.

12 horas - Intervalo para almoço

13h30 - Grupo 7: Planejamento e gestão de biodiversidade.

14 horas - Debates da Plenária para Aprovação do Programa de C,T&I em Biodiversidade Biota-MS

15h30 - Coffee break

16 horas - Apresentação da proposta de trabalho para o programa a partir dos subsídios colhidos no workshop. Coordenação: Prof. Dr. João Onofre Pereira Pinto

17 horas - Formalização do Comitê Gestor Definitivo do Programa Biota-MS e Encerramento do evento.

Serviço

O evento está sendo realizado na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS, na Sala 3 da Unidade VI (esta unidade é conhecida como shopping, que fica ao lado na Nova Biblioteca da UFMS, bem na entrada principal do campus onde está o símbolo da Universidade), em Campo Grande (MS).