Notícia

A Crítica (AM)

Programa Rumos faz mapa da criação artística

Publicado em 24 fevereiro 2003

SÃO PAULO (AF) - Um dos mais sistemáticos e abrangentes esquadrinhamentos da produção cultural contemporânea brasileira redobra o fôlego a partir de amanhã. Trata-se do programa Rumos do Itaú Cultural, um mapa atualizado da criação artística nacional traçado desde 1997, que anuncia nesta noite os termos de sua versão 2003. A novidade é o apoio a uma área adicional, a da pesquisa no cruzamento de arte e tecnologia, que reforça o eixo de seis manifestações artísticas contempladas até agora artes visuais, cinema e vídeo, música, dança, literatura e mídia arte. O rodízio entre as áreas se mantém, concentrando recursos neste ano em pesquisa, em cinema e vídeo e na dança. A nova edição ganha as ruas num momento delicado, em que o governo promete rever o sistema de financiamento da cultura - leia-se leis de incentivo. As medidas podem deixar estilhaços para fundações e centros culturais vinculados a empresas privadas, criticados por reverterem a verba incentivada (imposto de que o governo abre mão) para seus próprios projetos. O mecanismo, oferecido pela lei em vigor, tem merecido comentários incisivos do ministro Gilberto Gil, que o usa como exemplo para ilustrar a necessidade de revisão dos critérios de concessão. De cada R$ 10 do orçamento anual do Itaú Cultural, R$ 7 são incentivados. O orçamento da entidade para 2003 é de R$ 20 milhões -18,6% do que a Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo tem (R$ 107,4 milhões) para gastar, em tese, nos 645 municípios. "É normal que haja mudanças", relativiza José Roberto Sadek, 48, superintendente de pesquisas e projetos. "Temos certeza de que elas virão para aprimorar o funcionamento da lei." Enquanto seu lobo não vem, o Rumos faz os ajustes finais nos editais que estabelecem os critérios de seleção dos projetos que serão apoiados. Em cinema e vídeo, serão contemplados dez projetos de documentários, cinco deles com direito a realização, para a exibição em TVs educativas. A área de dança privilegiará a investigação de linguagem. Na nova área de estudos em mídia arte, voltada para mestrandos e doutorandos, os parâmetros são os das bolsas oferecidas por instituições de amparo à pesquisa, como Capes e Fapesp. "Não vamos concorrer com ai universidade, mas nos aproximar dela", diz Sadek, frisando que o programa prevê o pagamento de passagem aérea e ajuda de custo adicional para hospedagem a estudantes de fora de São Paulo. O Itaú Cultural lança, nesta noite o livro "Mapeamento Nacional da Produção Emergente", espécie de súmula com breve currículo e imagens dos 69 artistas apoiados pelas duas mais recentes edições do Rumos Artes Visuais.