Notícia

Prefeitura Municipal de São José dos Campos

Programa Revitalização de Nascentes contempla área em SFX

Publicado em 25 novembro 2020

Um plantio de 40 mudas de árvores nativas no Parque Municipal de São Francisco Xavier marcou a inclusão oficial de uma nova nascente no Programa Revitalização de Nascentes da Prefeitura de São José dos campos.

A ação realizada nesta terça-feira (24) contou com a participação de professores e equipe de direção da Emef Mercedes Rachid Edwards, vizinha da nascente, representantes da Secretaria de Urbanismo e Sustentabilidade, que coordena o programa, além de pesquisadores de instituições parceiras como Unesp e Inpe e agentes multiplicadores da comunidade.

O Programa Revitalização de Nascentes busca proteger mananciais em áreas públicas do município de São José dos Campos, além de integrar escolas em ações de educação ambiental. Com mais de 14 anos de existência, o programa completa, com a inclusão da nascente do Parque Municipal de São Francisco, 35 nascentes em processo de revitalização.

O entorno da nascente recebeu o plantio de 40 mudas nativas frutíferas, que se somaram a outras 500 plantadas no fim de outubro deste ano, dentro do processo de restauração florestal da mata ciliar.

O programa revitaliza e protege nascentes que contribuem para a formação do rio Paraíba do Sul, responsável pelo abastecimento de aproximadamente 18 milhões de habitantes das cidades situadas ao longo do Vale do Paraíba, nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, incluindo o abastecimento da Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

O programa contempla um trabalho perene de educação ambiental junto a professores e alunos das escolas municipais no entorno das nascentes, que vão desde o envolvimento nas ações de plantio, conservação das áreas, coleta de amostra para análise da qualidade da água, desenvolvendo a consciência da proteção do meio ambiente e dos recursos hídricos, além do uso racional da água.

O professor educador Luciano Rodolfo Machado destacou a importância do programa revitalização de nascentes dentro da escola. “Nosso sonho é que esse grande laboratório que é o Programa Nascentes possa se articular a outros projetos da escola e ser um modelo de educação ambiental.”

A pesquisadora do Inpe Laura Borma, que coordena o LabEcoh - Laboratório de Ecohidrologia Isotópica, esteve presente para conhecer o Programa Nascentes e verificar formas de aproximação com a escola.

Ela participa de um projeto de pesquisa na APA de São Francisco Xavier, por meio da Fapesp/GEF, que avalia os serviços ecossistêmicos de regulação hídrica e qualidade do solo em florestas da Mata Atlântica em diferentes estágios de regeneração.

“Temos uma estação experimental em São Francisco Xavier e como a revitalização de nascentes tem esse foco muito forte nas escolas, podemos ter essa interface para compartilhar o que a gente já sabe, como por exemplo, já estamos vendo uma infiltração de água muito maior na floresta mais antiga do que na floresta mais recente. Temos muito ainda o que conhecer da nossa floresta.”

A professora pesquisadora Fabiana Fiore, da Unesp, que orienta projetos de extensão universitária em parceria com o Programa Revitalização de Nascentes, também cumprimentou a equipe envolvida.

“Parabenizo muito o município por ter essa política pública instaurada no município há 14 anos, e que tem como qualquer vegetação, área verde na esfera urbana, múltiplos serviços ecossistêmicos prestados à sociedade, a todos nós. Fico feliz que mais universidades e pesquisadores se integrem ao projeto e ao poder público, promovendo também integração da educação tanto em nível de graduação como no ensino fundamental”.

Aline Lopes e Lima, professora de ciências da Escola Mercedes Rachid, destacou que a temática ambiental é transversal na escola e que os alunos que já vivem naquele meio natural têm uma visão ambiental forte. “Eles gostam e se interessam muito pelo projeto. Aqui estamos na área de formação de mananciais que atendem a toda a região e grande São Paulo, então eu trabalho muito em sala de aula que aqui não é fim do mundo, é o começo do mundo, onde a gente tem produção de água, de ar, alimento, todo o fundamento para a vida. Assim eles compreendem o valor deles aqui como agentes de proteção também do protagonismo juvenil”, disse.

A moradora do bairro Jardim Satélite, Taciana Silva Miranda Boueri, engajada nas ações de revitalização do bairro, acompanhou o evento e pode destacar a relevância do protagonismo da comunidade para transformação. “Começamos com mutirões de limpeza na nascente do nosso bairro, plantios e com todo esse trabalho de preservação acabamos conseguindo melhorar inclusive a questão de segurança no local. Com o tempo estamos conseguindo fazer com que as pessoas percebam a importância da preservação”, afirmou.

A secretaria de Urbanismo e Sustentabilidade também destacou a criação de um Centro de Referência de Tecnologias Rurais Sustentáveis no Parque Municipal de São Francisco Xavier, que já abriga outros projetos como o Tevap – Tanque de evapotranspiração e Círculo de Bananeiras para tratamento do esgoto, o Programa Pomares Nativos Educativos, entre outros.

Prevenção

A atividade ao ar livre foi realizada respeitando os cuidados para prevenção da covid-19, mantendo o distanciamento social, uso de máscaras e álcool gel.