Notícia

Gazeta de Piracicaba online

Professores premiados

Publicado em 20 setembro 2009

Por Priscilla Perez

Dois professores da Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz) da USP (Universidade de São Paulo) foram contemplados este ano com o Prêmio Fundação Bunge na área de Agricultura Tropical: João Lúcio de Azevedo, na categoria "Vida e Obra", e Carlos Eduardo Pellegrino Cerri, na categoria "Juventude", até 35 anos. Na área de Pintura os vencedores foram a pintora Regina Silveira, na categoria "Vida e Obra", e o pintor Rodrigo Cunha, na categoria "Juventude".

A premiação ocorreu quarta-feira (16), na Sala São Paulo, na capital paulista. Os vencedores da categoria Vida e Obra receberam R$ 100 mil cada um, além de diplomas e medalhas. Já na categoria Juventude cada um dos escolhidos receberam R$ 40 mil, além de diplomas e medalhas. Cerca de 900 pessoas prestigiaram o evento. A Gazeta de Piracicaba também esteve presente.

João Azevedo é formado em Engenharia Agronômica pela Esalq, possui doutorado em Genetics pela Universidade de Sheffield, na Inglaterra, e em Agronomia, pela Universidade de São Paulo, e pós-doutorado pela University of Manchester (1988) e pela Universidade de Nottingham. É professor aposentado pela Universidade de São Paulo, onde atuou de 1960 a 1995. Continua como professor e orientador em várias instituições brasileiras. Dedicou sua vida profissional aos estudos de genética de microorganismos de importância para a agricultura.

"Fiquei sabendo da premiação no dia do meu aniversário, quer presente melhor que esse? Essa é a primeira vez que a Esalq é contemplada com dois profissionais na mesma edição do Prêmio Bunge. É uma das primeiras vezes que eles fazem o prêmio para apoiar o desenvolvimento sustentável - ligado a natureza. É também muito importante para as pesquisas desenvolvidas na Esalq", afirmou Azevedo.

Carlos Cerri, também é formado em Engenharia Agronômica pela Esalq, fez mestrado em Solos e Nutrição de Plantas e doutorado em Ciência Ambiental, ambos na mesma entidade. É professor do departamento de Ciência do Solo da Esalq.

Se dedica ao estudo das mudanças climáticas globais, dinâmica da matéria orgânica do solo sob o clima tropical, variabilidade espacial de atributos do solo e matemática aplicada à ciência do solo. É bolsista de produtividade do CNPq e membro afiliado da Academia Brasileira de Ciências.

"O prêmio é indescritível não só pelo reconhecimento da atividade como a motivação para a carreira. Estou muito surpreso e feliz", contou Cerri.

Dentre as autoridades presentes na premiação estavam João de Almeida Sampaio Filho, Secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo; Celso Lafer, presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Roberto Rodrigues, coordenador do Centro de Agronegócios da Fundação Getulio Vargas; Adalberto Luis Val, Diretor do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa).