Notícia

Refrescante

Professores da Unesp na Academia de Ciências do Estado de São Paulo

Publicado em 03 setembro 2012

Por José Ângelo Santilli

Três professores do Instituto de Química (IQ) da Unesp, Câmpus de Araraquara, Elson Longo, José Arana Varela e Sidney José Lima Ribeiro, foram eleitos membros da Academia de Ciências do Estado de São Paulo - ACIESP. A cerimônia de posse deve ser realizada em setembro, na sede da entidade, em São Paulo, SP.

O professor Elson Longo avalia como muito importante estar na Academia. "É um prêmio que a gente ganha pelo trabalho ao longo da vida. A Academia tem relevância por se localizar no estado de São Paulo, que tem a maior produção industrial e onde está a maior concentração de pesquisadores do país, disse.

Uma das atribuições da Academia é propor políticas científicas e mostrar os melhores caminhos para a geração do conhecimento e a transformação do conhecimento em benefício do povo", afirmou Longo.

"É um reconhecimento de nossa contribuição para a ciência no estado de São Paulo. A Academia é um fórum que permite discutir os principais problemas estruturais da ciência no país e propor aos governos uma política de ciência e tecnologia, visando uma sociedade do conhecimento. A Academia reúne cientistas de renome, é influente e tem expressão estadual e federal. É uma honra ser eleito para a ACIESP", acrescentou José Arana Varela.

O professor Sidney José Lima Ribeiro assinala que a Academia é uma entidade sem fins lucrativos e que tem como finalidade principal contribuir com o desenvolvimento científico de São Paulo.

"Congrega pesquisadores que apresentem currículo expressivo e que tenham certa conotação nacional e internacional. A Academia procura cooperar com o governo estadual em atividades relacionadas ao ensino de Ciências e incentivar atividades científicas. É, portanto, uma associação de cientistas/professores que tem por missão fomentar a atividade científica na sociedade, disse.

Me sinto muito feliz, uma vez que faço parte do primeiro grupo professores do IQ indicados. Não existe o sentido de representação da Instituição na Academia, mas obviamente que nossa presença lá vai fazer com que o Instituto de Química e a Unesp tenham voz", declarou.