Notícia

SEDUC/SE - Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura de Sergipe

Professora de Umbaúba mantém preparação para a Olimpíada de Química com grupo de estudos online

Publicado em 04 maio 2020

A professora Darcylaine Vieira Martins, licenciada em química, é uma das muitas educadoras de Sergipe que têm motivado seus alunos a manterem o ritmo de estudos em casa neste período do distanciamento social. Para os estudantes do Colégio Estadual Dr. Garcia Filho, em Umbaúba, essa rotina é um grande estímulo na preparação para a Olimpíada Sergipana de Química (Osequim), fase classificatória para Olimpíada Brasileira de Química (OBQ).

Grupo no WhatsApp, Lives e sala de aula virtual no Google for Education são as ferramentas utilizadas pela professora Darcylaine Vieira para transmitir o conteúdo preparatório. Segundo ela, o aproveitamento tem sido bastante positivo, haja vista que os estudantes têm larga experiência com eventos dessa natureza.

“Apesar de o calendário dessas Olimpíadas estar suspenso, nós não paramos. Já tínhamos um grupo de estudo para as Olimpíadas de Química e Ciencias. Com o isolamento social tivemos que nos adaptar. Passou a ser tudo virtual: aulas, questões, avaliações etc. Preciso fazer com que os alunos mantenham o foco”, declarou a professora Darcylaine Vieira.

Com 35 alunos, o grupo de estudos conta ainda com mais uma ferramenta na preparação para as olimpíadas de química: o YouTube. A plataforma atualizada pela professora Darcylaine traz um vasto material acerca dos temas que são recorrentes nas provas, como métodos de separação de mistura, transformações da matéria, massa molar e mol, entre outros. As videoaulas podem sem acessadas por meio do link: https://www.youtube.com/user/darcylaine1.

Olimpíada Brasileira de Química

A Olimpíada Brasileira de Química é uma competição anual de química de âmbito nacional que tem por objetivo incentivar o interesse dos alunos do ensino médio e tecnológico pela química e descobrir jovens talentos. Criada em 1986 e ressurgida em 1996, por iniciativa do Instituto de Química da USP, com apoio da FAPESP, da Secretaria da Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, realizou o primeiro evento, com a participação de cinco estados brasileiros.

Atualmente é promovida pelas oró-reitorias de extensão da Universidade Federal do Ceará e pela Universidade Federal do Piauí e conta com a participação de estudantes de todas as unidades da federação.