Notícia

Rio Preto News

Professora da Unesp lança dicionário de termos financeiros

Publicado em 01 novembro 2006

A lingüista e lexicógrafa Maria Tereza Camargo Binderman, professora do Departamento de Lingüística da Faculdade de Ciências e Letras (FCL), campus de Araraquara, lançou o Dicionário de termos financeiros e bancários. O evento ocorreu no dia 31 de outubro, na sede da Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo).
A obra reúne mais de 700 verbetes nas áreas de finanças, economia, bancos, mercado de capitais e bolsa de valores. Cada um deles, construído cientificamente a partir de textos atuais e diversificados nesses domínios do conhecimento, se faz acompanhar do termo correspondente em inglês. Na maioria deles, estão indicadas as leis e outros documentos legais que embasam o conceito definido.
Um índice dos termos em inglês, com seu equivalente em português, facilita a consulta desses vocábulos e esclarece seu sentido e uso no Brasil. "Trata-se de um valioso instrumento de trabalho e de consulta para profissionais da área financeira, bem como professores, jornalistas e estudantes", diz Maria Tereza, professora colaboradora na pós-graduação da FCL.
Publicado com apoio do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), o livro teve como ponto de partida uma base informatizada de textos especializados nas áreas de abrangência da publicação.
Eles foram recolhidos de portais na internet e publicações impressas de variadas instituições, entre elas associações financeiras, federações e institutos, além de bancos, fontes jornalísticas e livros. "Foram 549 textos, totalizando mais de 1,5 milhão de palavras. Desse universo, coletamos os termos e os contextos usados para a sua definição", explica a Maria Tereza.
"Apesar de nós, professores universitários, estudarmos muito e gerarmos todo tipo de novo conhecimento, temos nos ocupado pouco de produtos pragmáticos que visem as necessidades da sociedade brasileira. Este dicionário, de alguma forma, contribui para preencher esse tipo de lacuna", conclui a doente da FCL, também autora de Dicionário Contemporâneo de Português (Editora Vozes, 1982); Dicionário Didático de Português (Editora Ática, 1998); Dicionário Ilustrado de Português (Editora Ática, 2005); e Dicionário do Estudante (Editora Globo, 2005).
Um dos principais projetos de Maria Tereza, intitulado Dicionário histórico do português do Brasil — séculos XVI, XVII e XVIII foi aprovado pelo CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), em 2006. Orçado em R$ 1 milhão, no âmbito do Programa Instituto do Milênio, iniciativa do Ministério da Ciência e Tecnologia, a obra um projeto pioneiro e deverá reunir, nos próximos dois anos, cerca de 10 mil palavras do vocabulário do início da história do País.