Notícia

Quimiweb

Professora da Unesp é uma das vencedoras do Premio Mujeres Latinoamericanas en Química 2021

Publicado em 21 outubro 2021

Por Agência FAPESP

A professora da Universidade Estadual Paulista (Unesp) Vanderlan da Silva Bolzani foi uma das homenageadas com o “Premio Mujeres Latinoamericanas en Química 2021”, cujas finalistas foram anunciadas este mês pela Sociedade Americana de Química (ACS) e pela Federação Latino-Americana de Associações de Química (FLAC).

A iniciativa é uma expansão do “Prêmio Mulheres Brasileiras na Química”, realizado pela primeira vez em 2018 pela ACS e pela Sociedade Brasileira de Química (SBQ). O objetivo é promover, na América Latina, a igualdade de gênero nas áreas de ciência, tecnologia, engenharia e matemática, bem como destacar o impacto da diversidade na pesquisa científica no campo da química.

Bolzani – que é professora do Instituto de Química da Unesp em Araraquara, presidente da Academia de Ciências do Estado de São Paulo (Aciesp), membro da Academia Brasileira de Ciências (ABC), da Academia Mundial de Ciências (TWAS), do Conselho da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e do Conselho Superior da FAPESP – foi agraciada com o Prêmio Reconhecimento Especial na categoria “Liderança Científica”.

As outras homenageadas foram Clarissa Piccinin Frizzo (Universidade Federal de Santa Maria, Brasil), Hilda Elisa Garay Pérez (Centro de Engenharia Genética e Biotecnologia da BioCubaFarma, Cuba), Marta Irene Litter (Universidade Nacional de San Martín e Conselho Nacional de Pesquisa Científica e Técnica – Conicet, Argentina), María Julia Culzoni (Universidade Nacional de Litoral e Conicet, Argentina) e Fabiana del Valle Sánchez (Noroeste Nutrición, Argentina).

Os nomes foram anunciados no dia 15 de outubro, durante o 34o Congresso Latino-Americano de Química. A cerimônia virtual de premiação será realizada em 16 de novembro.

“É uma honra muito grande receber esse prêmio, que divido com todas as mulheres cientistas e não cientistas, principalmente as jovens a quem precisamos inspirar. Ele representa, além do reconhecimento de minha carreira acadêmica, o reconhecimento da importância da ciência nesse momento em que no mundo e no Brasil há muitos negacionistas”, disse Bolzani à Agência FAPESP. “É preciso mostrar à sociedade a importância da ciência e do conhecimento para a melhoria da qualidade de vida de qualquer cidadão, em qualquer lugar. Ao lutar pela ciência estamos defendendo a Amazônia. Fortalecer o conhecimento é também fortalecer a economia”, acrescentou.

Formada em ciências farmacêuticas pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), em 1973, e doutora (1982) em química orgânica pelo Instituto de Química da Universidade de São Paulo (USP), Bolzani dedica-se há mais de 40 anos ao desenvolvimento de pesquisas em química de produtos naturais e química medicinal de produtos naturais. Entre 2008 e 2010 presidiu a Sociedade Brasileira de Química (SBQ). Em 2015 foi eleita vice-presidente da SBPC e, em 2017, foi reeleita por mais um mandato. É fellow da Royal Society of Chemistry desde 2009. Foi eleita Membro TWAS em 2013.

Republicar

Fonte: Agência FAPESP

Essa notícia também repercutiu nos veículos:
Revista Pará