Notícia

Jornal Regional (Dracena, SP) online

Professora conquista equipamento para o campus local orçado em aproximadamente 7 mil euros

Publicado em 27 março 2016

Por Elaine Rodrigues

Sem nem acreditar ainda no resultado final, a professora doutora da Unesp - Faculdade de Ciências Agrárias e Tecnológicas, campus de Dracena, Carolina dos Santos Batista Bonini, teve seu projeto na área de solos aprovado. Neste mês de março foi outorgado pela Fapesp, o auxílio-regular à pesquisa vinculada ao projeto ‘Qualidade física de um Latossolo em um sistemaintegração lavoura pecuária floresta (ILPF)’, que vem sendo desenvolvido desde o último dia 1° de março que ocorrerá até 2018.

O projeto vinha sendo desenvolvido pela professora dracenense com a colaboração de mais dois docentes (Cristiana Andriguetto e Gelci Lupatini) e um pesquisador na APTA (Gustavo Pavan Mateus), em Andradina desde 2014. Carolina explica que, os projetos submetidos passam por uma rigorosa avaliação com dois revisores da área que dura em torno de 120 dias.

Segundo a docente, o projeto tem como objetivo de estudo a qualidade do solo através das propriedades físicas e químicas do solo que atenderá os cursos de graduação e pós-graduação de zootecnia e engenharia agronômica.

Uma das características físicas que será estudada é a distribuição do tamanho de poros do solo, para isso será comprada uma mesa de tensão automatizada que é mais prática e confiável nesse tipo de análise. O equipamento está orçado em aproximadamente 7 mil euros.

“A mesa possui placa polimérica, dispositivo composto por sistema de vácuo com controle micro processado, caixa com placas poliméricas que permitem a análise simultânea de até 40 amostras e frasco separador com suporte móvel para ajuste da coluna de água”, informou.

A expectativa é que o equipamento, que está vindo da Alemanha, chegue a Dracena daqui a dois meses. A universidade já está estudando um local adequado para instalar a mesa.

Segundo a pesquisadora, essa mesa de tensão automatizada será a terceira do Brasil, pois os outros dois equipamentos estão na USP/Esalq e na Universidade Federal de São João Del Rei.

“Sinto-me muito realizada com essa conquista para universidade. Além de ser um orgulho morar em Dracena é como se fosse um pagamento por todo meu esforço”, avaliou Carolina.

Esse projeto vem sendo desenvolvido juntamente com os alunos do Nupee (Núcleo de Pesquisa, Ensino e Extensão em Pastagem e Bovinocultura de Corte) e do Genap (Grupo de Experimentação em Nutrição e Adubação de Plantas).

A professora leciona cinco disciplinas. Para o curso de zootecnia é a matéria solos. Já para os alunos de engenharia agronômica as disciplinas são: Física do solo; gênese, morfologia e classificação de solos; geologia e mineralogia, e recuperação de áreas degradadas.

PROJETOS – A professora doutora Carolina dos Santos Batista Bonini teve outro projeto aprovado recentemente, também na área de solos, com o tema 'Qualidade física de um Latossolo sob pastagem em recuperação com leguminosas', através do CNPQ (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico).

Neste caso, foi pelo edital chamada Universal, na qual a professora terá R$ 25 mil para desenvolver o projeto que já está em andamento e deverá durar até o próximo ano.

Esse projeto, que teve a colaboração do professor doutor Reges Heinrichs (Unesp de Dracena), Marlene Cristina Alves (professora Unesp de Ilha Solteira) e Alfredo Bonini Neto (professor da Unesp de Tupã), também ajudará os estudantes de graduação e pós-graduação da Unesp de Dracena. Através dele foi possível conquistar algumas bolsas de iniciação científica para os alunos do Genap.

CONGRESSO – E as novidades não param. Em setembro, a professora Carolina estará viajando para Portugal onde participará de um Congresso Ibérico de Ciência do Solo, na qual foi convidada a apresentar os resultados dos dois projetos aprovados recentemente.

Já em novembro, participará de uma Reunião Brasileira de Manejo do Solo e da Água, em Foz do Iguaçu.