Notícia

Unesp

Professor de Bauru publica artigo sobre perspectivas do ensino de Física

Publicado em 11 junho 2012

Representante da Sociedade Brasileira de Física para a Comissão de Ensino de Física (IPCE) da Comissão Internacional de Educação em Física (IUPAP), Roberto Nardi, professor da Faculdade de Ciências (FC) da Unesp, Câmpus de Bauru, é um dos autores do artigo Physics Education Research in Brazil, publicado na edição de maio da International Newsletter on Physics Education.

O texto, traduzido para o inglês, foi escrito a partir de um dos capítulos do livro Física para as próximas décadas (Chris MCHillard Editora, 2011). O link da publicação é http://web.phys.ksu.edu/icpe/Newsletters/n63.pdf

A mesma publicação divulga o Rio de Janeiro e Foz do Iguaçu como locais turísticos de destaque no Brasil. Também traz informações sobre a WCPE - World Conference on Physics Education, que ocorrerá de 1º a 6 de julho em Istambul, na Turquia.

O artigo, que enfoca desafios e perspectivas do ensino de Física, analisa a situação brasileira na área, sua relevância para a sociedade nacional, importância da educação e da linguagem, relações entre ensino de Física e Tecnologia e a importância da educação continuada para professores.

Para Nardi, é importante formar mais professores, com uma melhor formação para sua atividade. O sucesso desse esforço dependeria de políticas públicas voltadas para melhoria das condições salariais e de trabalho dos profissionais da rede pública brasileira.

Nesse aspecto, o conhecimento já produzido pela educação em física precisaria ser incorporado ao preparo dos professores do ensino fundamental. Ele ressalta que, no caso do Brasil, instituições como o Ministério da Educação e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) têm apoiado projetos que unem as equipes universitárias aos profissionais da rede de ensino básico.

Nardi acredita que é preciso aproximar a Física de ponta da escola. Segundo o educador, conhecer o mundo da Física não é valioso apenas para os que vão se dedicar a essa área, mas também para a própria alfabetização científica da sociedade.