Notícia

Jornal da Unesp online

Professor da Unesp recebe prêmio internacional de física

Publicado em 04 novembro 2009

Por Cínthia Leone

O professor Nathan Berkovits, do Instituto de Física Teórica (IFT), câmpus da Barra Funda, recebeu o Prêmio de Física de 2009 da Academia de Ciências para o Mundo em Desenvolvimento (TWAS). A organização, sediada em Trieste, na Itália, reconheceu suas contribuições para o aprimoramento da chamada teoria de supercordas. Ele vai dividir o prêmio, um cheque no valor de U$ 15 mil, com o pesquisador Hongjun Gao, da Academia Chinesa de Ciências, em Beijing, na China, vencedor por seus estudos sobre a formação da estrutura quântica. O anúncio foi feito no dia 19 de outubro, em Durban, na África do Sul.

Berkovits nasceu nos Estados Unidos, fez graduação e mestrado na Universidade Harvard (Cambridge, Massachusetts, EUA), e doutorado pela Universidade da Califórnia em Berkeley, no mesmo país. Trabalhou alguns anos na Inglaterra, mas preferiu ficar no Brasil após algumas visitas e se naturalizou brasileiro em 2002. Está no IFT desde 1997 e é um dos principais especialistas no conceito de supercordas no Brasil.

"Como no IFT só há pós-graduandos, existe maior interação entre alunos e professores, o que ajuda na pesquisa", afirma. Ele também destaca o apoio que recebeu de outros professores do instituto e de agências de fomento à ciência como a Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).

Teoria unificadora

Englobar a Mecânica Quântica e a Relatividade Geral em um só conceito é um dos desafios da física moderna, explica o pesquisador. Isso é necessário para responder a questões em aberto, como a física dos primeiros momento após o Big-Bang, a explosão que deu origem ao universo. Nesse contexto, a teoria de supercordas se apresenta como uma forte candidata, já que contempla esses dois pilares, embora até hoje não tenha sido comprovada.

"Trata-se da mais promissora teoria para unificar a força gravitacional com as outras três forças da natureza: eletromagnética, fraca e forte", diz o professor. Ele explica que o conceito reduz o número de partículas elementares - elétrons, neutrinos, quarks, fótons, grávitons - determinando que todas elas são vibrações de uma "corda" unidimensional.

O termo "super" vem de um aspecto matemático da teoria, chamado "supersimetria", na qual se concentram os estudos do pesquisador. Ele ganhou notoriedade por ter desenvolvido, em 2000, uma formulação matemática chamada "espinores puros", que facilita cálculos na teoria de supercordas.

Existe a possibilidade de a supersimetria ser observada experimentalmente em breve, no acelerador de partículas do Centro Europeu de Pesquisa Nuclear (Cern) em Genebra, de acordo com Berkovits.

A entidade

A Academia de Ciências para o Mundo em Desenvolvimento (The Academy of Sciences for the Developing World, TWAS) foi fundada em 1983 em Trieste, nordeste da Itália, por um importante grupo de pesquisadores do Hemisfério Sul, sob a cooordenação do físico paquistanês Abdus Salam (1926-1996), vencedor do Prêmio Nobel de Física em 1979. A instituição foi lançada oficialmente pelas Nações Unidas em 1985. Sua finalidade é promover a excelência científica e a capacidade dos países do Hemisfério Sul de produzir ciência com base no desenvolvimento sustentável.