Notícia

UFSCar -Universidade Federal de São Carlos

Professor da UFSCar é eleito membro da Academia Mundial de Cerâmicas

Publicado em 12 agosto 2008

Em cerimônia realizada na Itália, em julho deste ano, o professor Victor Pandolfelli, do Departamento de Engenharia de Materiais (DEMa) da UFSCar, foi eleito membro da Academia Mundial de Cerâmicas. A indicação do professor foi feita por pesquisadores estrangeiros e empresas brasileiras como reconhecimento às pesquisas desenvolvidas na área de materiais cerâmicos para aplicação em alta temperatura.

Pandolfelli já recebeu cerca de 52 premiações e considera que as internacionais, recebidas no Japão, Alemanha e Estados Unidos, trouxeram mais visibilidade para o seu trabalho. "Essa eleição representa o resultado de um trabalho em equipe que durante esses 28 anos contou com a participação de dezenas de pessoas, como alunos, docentes e vários pesquisadores", afirma Pandolfelli, reconhecendo a importância da indicação. Além disso, o professor afirma que a área de Cerâmica é muito pesquisada em todo o mundo e que ser escolhido como membro da Academia pela qualidade dos seus trabalhos comprova o reconhecimento da UFSCar no cenário das pesquisas em materiais.

Como membro da Academia Mundial de Cerâmicas, Pandolfelli participará dos fóruns internos que são promovidos com o objetivo de acompanhar o crescimento da área e apontar possíveis estratégias de desenvolvimento. Além disso, ele também participará de congressos expressivos que abordam temas referentes às pesquisas na área e apresentará propostas voltadas è educação de profissionais. "O estudo em Cerâmica extrapola a idéia de pisos e revestimentos. A cerâmica está presente em diversos produtos, como, por exemplo, em componentes eletrônicos de vários equipamentos", explica o professor, ressaltando a abrangência do estudo de materiais cerâmicos e a necessidade de profissionais qualificados nesse ramo de atuação.

Victor Pandolfelli foi coordenador de dois projetos temáticos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) na área de cerâmicas refratárias, é pesquisador nível 1A do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e já publicou mais de 400 trabalhos científicos.