Notícia

UFMG - Universidade Federal de Minas Gerais

Professor da UFMG é o novo presidente da Sociedade Brasileira de Física

Publicado em 12 julho 2007

O professor Alaor Silvério Chaves, professor titular do departamento de Física do Instituto de Ciências Exatas (ICEx) da UFMG tomou posse, nessa quarta-feira, 11, como presidente da Sociedade Brasileira de Física (SBF). A cerimônia de posse aconteceu durante a 59ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que está sendo realizada em Belém.

Em entrevista à Agência Fapesp, Chaves afirmou que as principais linhas de ação da nova diretoria serão o trabalho por uma maior inclusão da ciência na vida do país, pela melhoria no ensino de ciências, em especial da física, em todos os níveis, e pela regulamentação da profissão de físico.

Alaor Silvério Chaves afirmou ainda que pretende dar continuidade a ações importantes iniciadas pela diretoria anterior. Em seu discurso de posse, destacou que a ciência no país cresce de forma significativa, mas ainda não se transformou em riqueza e crescimento econômico. "Em 1981, o Brasil contribuiu com 0,44% das publicações científicas mundiais, índice que subiu para 1,92% em 2006, fazendo do país o 15º maior produtor de artigos. Entretanto, apenas 11% dos pesquisadores brasileiros trabalham em empresas, enquanto nos países desenvolvidos esse percentual é de pelo menos 60%. Com isso, nossas empresas continuam sendo pouco inovadoras e vêm perdendo competitividade", afirmou.

O professor Chaves também destacou o baixo número de patentes registradas por empresas brasileiras. "Somos o 27º país no mundo na produção de patentes, atrás de Cingapura, que tem apenas 4 milhões de habitantes. Enquanto nos países mais inovadores as empresas respondem por pelo menos dois terços dos gastos em pesquisa e desenvolvimento, no Brasil sua contribuição é de apenas 36% do total."


Expansão da modernização

O novo presidente da SBF antecipou que trabalhará pela expansão e pela modernização da infra-estrutura de pesquisa científica e tecnológica no país e buscará maior aproximação com outras associações científicas, para um esforço cooperativo e um diálogo construtivo com o governo. Atenção especial também será dada à Olimpíada Brasileira de Física, que em 2006 teve a participação de 70 mil estudantes do ensino médio.

Além de Chaves, fazem parte da nova diretoria, que terá mandato de dois anos, Paulo Murilo Castro de Oliveira (Universidade Federal Fluminense), Gastão Inácio Krein (Universidade Estadual Paulista), Elizabeth Andreoli de Oliveira (Universidade de São Paulo), José David Vianna (Universidade Federal da Bahia) e Nilson Marcos Dias Garcia (Universidade Tecnológica Federal do Paraná).
(Com Agência Fapesp)