Notícia

Notícias Unisanta

Prof. Dr. Américo Martins Craveiro, da FAPESP, fala sobre apoio a empresas e universidades, visando criar projetos inovadores

Publicado em 09 junho 2017

Por Elaine Saboya

A reitora Sílvia Teixeira Penteado e a presidente da Unisanta, Lúcia Teixeira, convidaram empresas e universidades a desenvolver um trabalho conjunto visando focar um tema único de pesquisas e projeto, para criar um Centro de Pesquisa em Engenharia, com apoio da FAPESP

O importante, para que a FAPESP apoie pesquisas e empreendimentos inovadores, é que as empresas e as universidades, juntas, foquem um tema único para os investimentos. A FAPESP analisará e, se aprovado, o projeto terá um suporte.

Essa foi uma das informações prestadas na manhã desta sexta-feira (9/6) pelo professor doutor Américo Martins Craveiro, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), durante palestra na Universidade Santa Cecília (Unisanta).

Ele conversou com representantes de empresas, universidades e poderes públicos sobre o apoio do órgão à criação de um Centro de Pesquisa em Engenharia na região. Abordou o fomento para pequenas empresas, além de uma parceria para Inovação Tecnológica, orçamentos, fases necessárias das

pesquisas e métodos de operação.

A região tem insumos, mas não são suficientes. É preciso conhecimento para se ter inovação. As universidades têm um papel fundamental, o de levar conhecimento às empresas. Inovação não é só ter o novo, mas ter o novo aplicado, afirmou o dr. Martins Craveiro.

Ele explicou também como funciona o projeto Pesquisa Inovativa na Pequena Empresa (PIPE). E não apenas as grandes e médias empresas podem encaminhar projetos, por meio de universidades. Pessoas que não tenham formação acadêmica ou experiência também podem apresentar ideias à FAFESP. Desde que os projetos inovadores tenham perspectivas no mercado, “apostamos na pessoa”, disse o dr. Martins Craveiro. O professor lembrou o espírito empreendedor de Bill Gates, que não era doutor nem graduado, quando lançou projetos inovadores.

Palestra: passo para o desenvolvimento

A Reitora da Unisanta, Sílvia Teixeira Penteado, mencionou o “momento especial da Baixada Santista, interessada em uma cultura inovadora. “Temos um grande potencial, que inclui o Complexo Industrial de Cubatão, o maior Porto da América Latina, o Parque Tecnológico, o terceiro Polo Universitário da Baixada Santista e as pequenas e médias empresas, entre outros segmentos”.

“A região não vive só de turismo nem dos sonhos passados do café. Vamos sair daqui com um compromisso de um pacto tecnológico, um Plano de Ação com metas. E o Sebrae é um agente importante dessa cadeia, declarou a reitora.

“A iniciativa da Unisanta, trazendo a orientação da FAPESP representa um grande passo no fomento de desenvolvimento para Santos e região e, por extensão ao País”, afirmou a presidente da Universidade, dra. Lúcia Teixeira. “Conhecimento pode gerar riqueza para a Baixada Santista, com a inovação gerada em pesquisas e em investimentos voltados a aumentar a eficiência de empresas e do processo produtivo”, acrescentou a educadora.

“Estamos propondo um Centro de Pesquisa em Engenharia, com projetos voltados à região. A integração com o setor produtivo e o incentivo cada vez maior ao empreendedorismo podem alavancar o desenvolvimento da Baixada Santista”, afirmou a presidente da Unisanta. Sua proposta é de que as universidades apresentem temas que possam ser trabalhados em conjunto em todas as iniciativas relacionadas a Programas de Fomento e Inovação Tecnológica.

Lembrou Lúcia Teixeira que já existe um trabalho sedimentado das universidades com o setor produtivo, que está sendo gestado, de grande qualidade. Com apoio da FAPESP, será possível avançar ainda mais nesses projetos, com boas notícias para o Brasil.

“A palestra do Prof. Dr. Américo Martins Craveiro vem disponibilizar para a Baixada Santista uma importante ferramenta de fomento à pesquisa e inovação científica. Essa linha de fomento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo atende não somente a pesquisadores que querem inovar, mas também a empresários fora do âmbito acadêmico que tenham ideias inovadoras que possam gerar produtos e patentes. A próxima chamada do edital do PIPE já está aberta disponibilizando 15 milhões de reais”, afirmou o Coordenador Geral da Pós-Graduação Stricto Sensu da Unisanta, Prof. Dr. Marcos Tadeu Tavares Pacheco.

Sobre o palestrante – É engenheiro químico pela Escola de Engenharia Mauá/IMT (1975), com doutorado em engenharia química pela Universidade de São Paulo (1994). Tem especialização em processo fermentativo de aproveitamento de resíduos orgânicos pelo Illinois Institute of Technology (1977 a 1978)

Atuou de 1975 a 2004 no Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT) como pesquisador na área de engenharia bioquímica, na Chefia do Agrupamento de Biotecnologia e na coordenação do Programa de Biotecnologia do IPT. Atuou de 1994 a 2010 na Vallée S.A, empresa da área veterinária, enquanto gerente da área de engenharia bioquímica e vacinas, diretor de P&D e diretor de inovação.

Coordenou os trabalhos de preparação e apresentou ao Comitê Julgador a candidatura da Vallée S.A., vencedora do Prêmio Finep de Inovação Tecnológica 4ª edição, na categoria Grande Empresa (2001). Atuou como colaborador do USP-MBA “Conhecimento, Tecnologia e Inovação” – 1999 a 2003.

Foi vice-presidente da Associação Brasileira das Empresas de Biotecnologia (Abrabi) (1989-1993); diretor, vice-presidente e presidente da Associação Nacional de Pesquisa, Desenvolvimento e Engenharia das Empresas Inovadoras (Anpei) de 1998 a 2004 e novamente vice-presidente em 2006. Foi membro do Conselho Estadual de C&T do Estado de São Paulo (Concite) (2004-2006) e do Conselho Superior de Tecnologia da Fiesp (Contec) (2003-2004), entre outros.

Integrou a Comissão de Instalação do Mestrado de Biotecnologia USP–Instituto Butantan–IPT (1988-1989), sócio-fundador do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE) (2001) e do Centro de Tecnologia do Nordeste (Cetene) (2006). Recebeu a Comenda da Ordem Nacional do Mérito Científico, em 15 de agosto de 2002.

Autoridades presentes

Coronel Denis Ernesto do Carmo, Chefe do Estado Maior da 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea; Antonio Carlos Silva Gonçalves, presidente do Parque Tecnológico de Santos; Ricardo Giuliano Chaves Serra, Coordenador de Requalificação Profissional, representando o Secretário de Portos de Santos, Omar Silva; Prof. Adauto Correa, vice-reitor da Unimonte; Prof. Dr. Jorge Monteiro Junior, Diretor da FATEC Baixada Santista; Prof. Eduardo Henrique Gomes, Diretor de Pesquisa, Inovação e Extensão do Instituto Federal de Cubatão; Prof. Cleber Ferrero – Diretor Engenharia da UniSantos; Profª Adriana Luquet – Assistente da Direção da UNIP, representando o Diretor Prof. Edson Monteiro

E mais : Prof. Milton Ricardo Azedo, Coordenador do Mestrado de Veterinária da Unimes; Prof. Marcio Colmemero – Coordenador de Administração e Contábeis UNIBR; Profª Lara Mattos, Coordenadora da Adm. Strong; Profª Veridiana Vera De Rosso – Associada Unifesp; Prof. Fernando Branquinho – Diretor Comercial da BRANQS; Sr. Claudio Lopes Tosta – Diretor de Negócios Inteligência Ambiental; Walter Sergio Candido da Silva – Sócio da Astro Solar.

Coordenadores do Programa de Mestrado da Unisanta: em Ecologia, Profª Dra. Ursulla Pereira Souza; em Engenharia Mecânica, Prof. Dr. Felipe Bertelli; em Auditoria Ambiental, Prof. Dr. Roberto Borges; Profª Dra. Luana Carramillo Goirg, representando a Coordenação de Mestrado da Unimes; Engenheiro Antonio de Salles Penteado, Diretor das Faculdades de Engenharia e Arquitetura da Unisanta; Prof. Dr. Aureo Pasqualeto Figueiredo – Direção da Faculdade de Engenharia; Luiz Vidal de Negreiros – Diretor de Relações Institucionais e de Negócios da Unisanta.