Notícia

Agência C&T (MCTI)

Produtos indicados a crianças com alergia ao leite de vaca nem sempre são adequados, mostra pesquisa

Publicado em 08 abril 2008

Pediatras e nutricionistas erram com freqüência no diagnóstico para detectar a alergia às proteínas do leite de vaca em crianças menores de 2 anos. Essa é a conclusão de uma pesquisa, feita na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

O trabalho, publicado na "Revista Paulista de Pediatria", alerta para a necessidade de diagnósticos precisos e cautelosos, uma vez que a exclusão do leite de vaca, sem substituição adequada, pode prejudicar o crescimento normal e a própria qualidade nutricional da dieta. As crianças menores de 2 anos, em fase de rápido desenvolvimento, apresentam necessidades nutricionais elevadas.

Para que a criança não fique com déficits de cálcio e de outros nutrientes, o leite de vaca deve ser substituído por uma fórmula especial, denominada hidrolisado de proteínas, ou por fórmulas de aminoácidos, conforme explica o coordenador do estudo, o professor de gastroenterologia pediátrica Mauro Batista de Morais.

Ele lembra que, segundo a Academia Norte-Americana de Pediatria, as fórmulas de soja só podem ser utilizadas nas alergias imediatas após o sexto mês de vida.

A pesquisa foi realizada em três hospitais públicos no município de São Paulo, em 2005. Cerca de 66% dos pediatras e 48% dos nutricionistas prescreveram pelo menos um produto considerado inadequado para pacientes com alergia ao leite de vaca, como leite de cabra e fórmula láctea sem lactose e parcialmente hidrolisada.

Outro dado que chamou a atenção no estudo é que 25% dos pediatras e 40% dos nutricionistas não apontaram as fórmulas à base de hidrolisado protéico e fórmulas à base de aminoácidos como opções terapêuticas no combate à alergia ao leite de vaca.

Confusão no diagnóstico

A pesquisa também detectou haver erro no diagnóstico em relação à intolerância à lactose, que é confundida com alergia a proteínas. Os resultados mostram que 30,8% dos pediatras e 17,2% dos nutricionistas consideram necessária a retirada de todos os alimentos que contenham as proteínas do leite de vaca nos casos de intolerância à lactose.

"A intolerância à lactose é uma incapacidade de a pessoa absorver a lactose (açúcar), e não a proteína. A intolerância à lactose ocorre, geralmente, depois dos 4 anos de idade. Os sintomas são gases, flatulência, cólica abdominal e, eventualmente, diarréia. As pessoas que têm intolerância a ela podem comer eventualmente pequenas quantidades em produtos derivados do leite, como queijo e iogurte", explicou o professor à Agência Fapesp.

*Com informações da Agência Fapesp