Notícia

MSN

Produtos gerados a partir do CO2 são alternativa para combater poluição

Publicado em 07 julho 2021

Por Nathan Fernandes

Apesar de causar problemas ambientais, como o agravamento do efeito estufa, o CO2 também pode ser transformado em algo útil. Através de uma metodologia própria, pesquisadores da Universidade de São Paulo apontaram três derivados do CO2 com mais potencial para serem usados na indústria e em novas pesquisas. O dimetilcarbonato (DMC), o ácido acético e o dimetil éter (DME) foram selecionados dentro de um universo inicial de 122 derivados.

Foram três etapas de seleção, nas quais os pesquisadores verificaram itens como maturidade tecnológica, taxa de utilização das moléculas do CO2 e a projeção de crescimento, incluindo preço.

Conforme escreveram no artigo, publicado no periódico “Journal of CO2 Utilization”, os cientistas acreditam que a produção de produtos químicos e combustíveis a partir do CO2 pode levar a um caminho sustentável de baixo carbono para a indústria química.

De acordo com a pesquisa, conduzida por cientistas do Departamento de Engenharia Química da Escola Politécnica (Poli-USP) — que integram o Centro de Pesquisa para Inovação em Gás (RCGI), um Centro de Pesquisa em Engenharia (CPE) apoiado pela FAPESP e a Shell — os três produtos apresentam vantagens de sustentabilidade em relação a outros derivados.

O DMC, por exemplo, é um gás tóxico que gera ácido clorídrico, uma substância altamente corrosiva. Mas ele pode ser usado na fabricação de policarbonato, um tipo de plástico que pode substituir o vidro, normalmente gerado a partir da indústria petroquímica. O CO2 é utilizado como reagente na etapa de produção do DMC, por isso os cientistas acreditam que o processo pode ajudar na diminuição de 1.730 toneladas de CO2 para cada 10.000 toneladas de policarbonato produzidas.

Outro produto com um grande potencial de mercado é o gás dimetil éter (DME), que pode substituir o diesel como combustível. Apesar da potencial aplicação, os pesquisadores afirmam que os produtos derivados de petróleo ainda têm uma vantagem em relação ao preço, portanto essa é uma questão que ainda precisa ser resolvida.

Já o ácido acético é utilizado amplamente como reagente na indústria. Mas ele também dá origem ao acetato de vinila, um polímero emborrachado usado para a fabricação do PVA, um tipo de plástico usado na produção de adesivos.

“Esses produtos têm uma projeção boa de crescimento na indústria, além de uma maturidade tecnológica intermediária”, afirmou em um comunicado o engenheiro químico e doutorando Kelvin André Pacheco. Apesar de reforçar que mais pesquisas devem ser feitas, os cientistas acreditam que os achados podem contribuir para a criação de uma indústria química mais amigável ao meio ambiente.