Notícia

Folha da Região (Araçatuba, SP)

Produção é maior que consumo na região

Publicado em 20 junho 2010

A região administrativa de Araçatuba, composta por 43 municípios, produz quase nove vezes mais energia do que consome. É o que mostra o 1º Balanço Energoambiental para a região administrativa de Araçatuba 2009, ano-base 2008, desenvolvido em parceria pela Cooperhidro, Gepea (Departamento de Engenharia e Automação Elétrica) e IEE (Instituto de Energia e Eletrotécnica), da USP (Universidade de São Paulo), e apoio da Fapesp (Fundo de Amparo à Pesquisa de São Paulo).

O estudo mostra que a região não possui nenhum tipo de energia primária não renovável e uma quantidade considerável de energia renovável atrelada principalmente à produção de cana-de-açúcar (matéria prima do etanol e açúcar) e da energia hidráulica (usinas hidrelétricas).

Números - De acordo com o estudo, em 2008 a região produzia 5,677 milhões de tOE(tonelada de óleo equivalente) de energia, sendo 2,737 milhões de tOE provenientes da energia hidráulica; 2,934 milhões de tOE dos produtos da cana-de-açúcar e 5,2 mil tOE da lenha. Por outro lado, o consumo total da região no mesmo ano era de 659,77 mil tOE.

Isso significa que a região consome apenas 11,6% do total de energia aqui produzida. Um tOE é numericamente igual a dez milhões de kcal (quilocaloria), unidade adotada mundialmente.

Em volume, a principal energia consumida na região vem dos derivados de petróleo (427.113 tOE), seguida do óleo diesel (301.730 tOE) e eletricidade (122.351 tOE).

Comparando com os dados de 2000, o balanço mostra que houve uma queda na participação final no consumo de derivados de petróleo e crescimento do etanol. Porém, a dependência por derivados do petróleo terminou 2008 em 64,7%, valor bem superior aos 13,9% do etanol (anidro e hidratado) e 18,5% da eletricidade.

O setor de transportes é o principal consumidor da região. O consumo de gasolina é menor em 2008 quando comparado com 2000 devido à adoção do etanol combustível. De acordo com os pesquisadores, um dos principais motivos para a mudança é o preço do etanol, bem inferior ao da gasolina.

Megawatts - Dentre as fontes de energia da região a eletricidade está entre os destaques. Os 43 municípios produzem juntos 31,83 milhões de MWh (megawatt/hora) de energia e consomem apenas 1,4 milhão de MWh. Os 30,4 milhões de MWh restantes são exportados.

Outra fonte de energia produzida na região e exportada é o etanol. Em 2008 as 20 usinas instaladas na região produziram 1,92 bilhão de litros de etanol, dez vezes mais do que o consumo local (de 177,9 milhões de litros).

O gás natural, os derivados de petróleo (gasolina, óleo combustível, óleo diesel, querosene) são fontes de energia importadas pela região. De acordo com o doutor em engenharia elétrica Miguel Edgar Morales Udaeta, um dos autores do balanço, os dados apresentados confirmam a região como grande exportadora de energia limpa e renovável e poderá ser utilizado para o desenvolvimento da região. "O tomador de decisão pode olhar os números e reduzir o consumo de um tipo de energia em razão do aumento de outra e assim por diante", explicou. Segundo Udaeta, o estudo foi elaborado em linguagem acessível com tabelas, gráficos, ilustrações e análises, para facilitar a análise de não especialistas.