Notícia

Correio da Bahia

Procura por destaque na rede faz surgir nomes esdrúxulos

Publicado em 08 junho 2000

Por Marco Gramacho
O ar está ficando rarefeito na internet. Um indício é que começam a pipocar na rede nomes esdrúxulos de sites, como www.drome-dario.com.br - portal de investimentos, e www.obsidi-ana.com.br - portal feminino. Na opinião de publicitários, para conseguir notoriedade na rede, as empresas não estão planejando corretamente a escolha dos domínios. Dados da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), órgão que registra sites no Brasil (http://regisro.br), indicam que mais de sites são criados todos os s no país. O órgão aponta ainda que o país é um dos campeões mundiais de domínios: são quase 250 mil sites comerciais. Para o publicitário César Magalhães, nomes esdrúxulos são uma tentativa de se destacar "neste mar com milhares de domínios". "É um recurso duvidoso, que se encaixa bem em sites de entretenimento ou humor, porque se torna engraçado, ou em homepages de protesto, cujo conteúdo não é ligado ao business", percebe. Na sua opinião, comercialmente, o melhor é adequar o nome à função, negócio, ou à principal competência do site. "E através do nome que o internauta percorre a via digital para encontrar a empresa, por isso é mais difícil escolher um bom domínio do que uma marca convencional". Ele compara os domínios www.banheirofeminino.com. br e www.obsidiana.com.br, ambos com conteúdo direcionado a mulheres. "O primeiro utiliza bem o conceito de ambiente apropriado à conversa confidencial e íntima, que é a proposta do site. É como um casulo feminino livre da presença masculina", opina. Para Magalhães, o Obsidiana.com - o nome é explicado pelos criadores do site como uma pedra de origem vulcânica que simboliza a beleza, a sabedoria, a mudança, o amor e a coragem - é um domínio dúbio e confuso. O próprio dicionário Aurélio define o termo como "designação comum a diversas variedades de lavas, em geral escuras, pobres de água, com fratura concoidal, e de aspecto vítreo". "Uma definição, convenhamos, nada feminina", ironiza Magalhães. A publicitária Janaína Castro acredita que está faltando planejamento no momento de escolher os domínios. Toda empresa que deseja se tornar competitiva deve fazer uma pesquisa de mercado e opinião com os internautas, conhecer seu negócio, definir sua missão e criar o conceito", diz. Ela acredita que, enquanto os sites não definirem bem seu negócio, vai haver muitos "dromedários - espécie de camelo com pescoço curto e uma corcova - ameaçados de extinção", brinca. DOMÍNIOS COM ATÉ 60 CARACTERES Para o publicitário César Magalhães, outro indício de que está faltando ar na internet é que começam a surgir empresas oferecendo assessoria para criação de domínios longos, contendo até 60 caracteres. É o caso da Digiweb Brasil (www.digiweb.psi.br), hospedeira de sites nacional. A empresa até oferece a opção de endereço: ww.digiweb-brasil-a-empresa-que-pen-sa-no-seu-futuro.com. De acordo com o diretor técnico da Digiweb Brasil, Jean Andreadis, a idéia é que as empresas utilizem frases atrativas, em que o slogan seja inserido, por exemplo, para ajudar na fixação da marca ou produto na memória dos clientes. Não é o que acredita Magalhães. "Decorar uma frase inteira de um domínio, ainda que seja um slogan, é como ter que lembrar todos os endereços de um bairro, por exemplo", diz o diretor da agência baiana de marketing Mezo. Ele explica que o site (lugar, em inglês) tem que ser rapidamente reconhecido pelos internautas, por isso pequenos nomes são os mais indicados. "O iG, por exemplo, como seguiu uma ótima solução, transformando em sigla o longo nome Internet Gratuita". Outros exemplos de domínios-adequados, na sua opinião, são o Yahoo! - "grito jovem na rede" - Cadê? e Aonde? - funcionais e direitos". FAPESP É O ÓRGÃO OFICIAL DE REGISTROS A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo traz no site (http://registro.br) cerca de 250 mil domínios ligados a algum tipo de atividade comercial, quase seis mil de profissionais liberais, 1662 de pessoas físicas e 1047 endereços de universidades. A Fapesp registra domínios - terminados em .br - oficialmente no Brasil. Entidades que funcionem legalmente no país, profissionais liberais e pessoas físicas podem requerer domínios. Palavras de baixo calão e os nomes reservados pelo site e pelo Comitê Gestor da Internet não são registráveis. Estes últimos podem ser conferidos on-line no próprio site da Fapesp. A taxa para registro é de R$50, e mais R$50 anuais para manutenção. Além do CGC da empresa e do CPF para pessoa física, é necessário que o requerente possua dois servidores DNS já configurados para o seu domínio. Caso não haja infra-estrutura própria, quem fornece a configuração é o provedor de hospedagem, como o Yahoo! (www.yahoo.com) e Cadê! (www.cade.com.br). DOMÍNIO Domínio é o nome que serve para localizar e identificar conjuntos de computadores na internet. O nome de domínio foi concebido com o objetivo de facilitar a memorização dos endereços de computadores na internet. Sem ele, teríamos que memorizar uma seqüência grande de números. DNS Sigla para Domain Name System ou Sistema de Nomes de Domínios. É uma base de dados hierárquica, distribuída para a resolução de nomes de domínios em endereços IP e vice-versa.