Notícia

Www.com.br

Privatizam-se domínios

Publicado em 01 agosto 2006

Até pouco tempo, o registro de domínios brasileiros, com o final .com.br, só podia ser feito pelo site do Registro.BR, órgão da Fapesp criado especificamente para essa finalidade. Mas as coisas mudaram, alguns provedores de hospedagem, como a Locaweb, começaram a prestar o serviço de registro de domínios .br de forma independente. A iniciativa foi promovida pelo Registro.BR para flexibilizar o processo de registro e assim aumentar o número de domínios registrados no Brasil. A Locaweb, uma das maiores do País, foi a primeira homologada pelo Registro.BR.
Assim como ocorre no Registro.br, o registro de domínio .br via empresas privadas tem duração de um ano, O custo é de R$ 30,00, sem qualquer taxa adicional para o usuário.
A atividade de registro de domínios será agregada aos serviços prestados pela Locaweb. Esta abertura do mercado permitirá uma aceleração no segmento web no País, com a ampliação da oferta. Atualmente, os Estados Unidos possuem cerca de 50 milhões de domínios registrados, enquanto o Brasil ainda não alcançou o primeiro milhão.
Para saber mais sobre o registro de domínios no Brasil e como a Locaweb pretende lidar com essa cessão do Registro.BR, a Revista W conversou com Cristian sobre o assunto. Confira, a seguir, os principais trechos da entrevista.

Revista W: Por que o Registro.BR resolveu homologar empresas para registrar domínios?
Cristian Gailegos: Com a abertura desta atividade, o mercado de internet no Brasil tende a assumir um crescimento muito mais intenso do que o atual. Hoje, no Brasil, beiramos o primeiro milhão de domínios, enquanto os Estados Unidos já atingiram 50 milhões. A discrepância é enorme. Com esta ação do Registro.BR, empresas privadas assumirão a tarefa de estimular as vendas de domínios, o que envolverá relevantes verbas de marketing para divulgação e promoção. A internet no Brasil vai crescer a passos largos com isso.

Revista W: Por que a Locaweb foi a primeira homologada?
Cristian Gallegos: Por estarmos atentos ao mercado e acompanharmos o processo junto ao Registro.BR desde o início. Claro, tudo isso envolveu imenso esforço jurídico e tecnológico para nos adaptarmos aos requisitos exigidos pelo Registro.BR. Sermos os primeiros foi mérito da visão da empresa e da qualidade da equipe envolvida no projeto.

Revista W: Quais as vantagens de se ter um domínio ".com.br" em relação a um simplesmente ".com"?
Cristian Gailegos: Primeiro, porque estamos no Brasil e trata-se de uma forma de resguardar o seu nome ou da sua empresa para a sua atuação na internet aqui no país. Fora isso, o internauta brasileiro está acostumado a digitar o ".br" ao final de uma URL quando está tratando com empresas brasileiras. Também é importante, do ponto de vista de marketing, facilitar ao máximo o acesso do visitante ao seu site e, neste ponto, o registro de domínios.br e .com são válidos, assim como o registro dos domínios com o nome da empresa, dos serviços, unidades de negócio.

Revista W: A Locaweb também registrará domínios org ou gov.br? Ou ainda outros sufixos?
Cristian Galiegos: Sim, a LocaWeb está habilitada a registrar qualquer domínio ".br". Os sufixos são os mais diversos, basicamente divididos em dois segmentos: entidades com opções como os COM (comércio), ORG (não-governamentais sem fins lucrativos), ART (artes), GOV (governo federal), IND (indústria) e outros. Também profissionais liberais com as opções ADM (administrador), ARQ (arquiteto), FOT (fotógrafo), MED (médico), PPG (publicitário), PRO (professor) e muitos outros.

Revista W: É apenas um serviço adicional ou a Locaweb irá ter um núcleo para cuidar disso?
Cristian Gailegos: O foco da Locaweb é oferecer serviços completos em internet. Hoje, nossos carros-chefe são hospedagem de sites e serviços de e-mails. O registro de domínios será uma porta de entrada do cliente à Locaweb, além de estimular o mercado, o que ajuda todo o segmento.

Revista W: Qual é a estimativa da Locaweb diante deste novo serviço?
Cristian Gallegos: O registro de domínios é uma "porta de entrada" na Locaweb. Como vocês podem ver, o valor que a Locaweb está cobrando é o mesmo que o Registro.BR cobra. Portanto, o nosso foco não é ter grandes lucros com este serviço, e sim estimular o mercado de internet no Brasil. Quem quiser entrar ou melhorar a sua atuação na web, que o faça por meio da Locaweb.

Revista W: Qual o perfil do cliente que usará o serviço?
Cristian Gailegos: Não mudará muito. Geralmente são profissionais de internet e donos de micro e pequenas empresas mais entrosadas com tecnologia. Contudo, o objetivo é democratizar o acesso a este produto, facilitando todo o processo de contratação de um domínio próprio. O Registro.BR adotou a ação correta para estimular o mercado.

Revista W: Por que um cliente resolveria registrar seu domínio via Locaweb e não diretamente no Registro?
Cristian Gailegos: A resposta é simples: pela gama de serviços que a Locaweb oferece, o que permitirá que o cliente tenha todos os serviços de internet em uma única empresa. Além disso, conosco, o usuário não tem de se preocupar com tantos termos técnicos quanto antes.

Revista W: Se um cliente já tem um domínio registrado, será possível ele transferi-lo, durante a renovação, para as mãos da Locaweb?
Cristian Gailegos: A transferência de domínio para a Locaweb pode ocorrer a qualquer momento, sem envolver a alteração da data de vencimento do domínio em questão. O proprietário do domínio, ao acessar a sua conta no Registro.BR e definir a Locaweb como o seu provedor de serviço de registro, estipulará se a Locaweb será a responsável pela próxima renovação do seu domínio.

Revista W: Se o custo do registro é o mesmo praticado pelo Registro.BR, o que a Locaweb ganha?
Cristian Gallegos: Uma importante "porta de entrada" de potenciais consumidores da enorme gama de serviços que a empresa presta.