Notícia

Esteta

Primeiro satélite construído por alunos do ensino fundamental será lançado hoje

Publicado em 09 dezembro 2016

Um satélite desenvolvido por alunos do ensino fundamental em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e a Agência Espacial Brasileira (AEB) será lançado hoje (09/12), do Centro Espacial Tanegashima, no Japão, de acordo com a Assessoria de Comunicação do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação (MCTIC).

 

Conhecido como UbatubaSat, o satélite ficará na Estação Espacial Internacional (ISS) e será colocado em órbita no dia 19 de dezembro.

 

O satélite foi desenvolvido na Escola Municipal Presidente Tancredo de Almeida Neves (ETEC), de Ubatuba. A ideia surgiu em 2010, com a notícia de que a Interorbital Systems, empresa da Califórnia, tinha desenvolvido um foguete de baixo custo e estava comercializando kits de microssatélites. "Fizemos contato com eles para confirmar valores, na época era cerca de US$ 8 mil”, contou o professor de matemática Cândido Moura, coordenador do projeto.

 

Moura entrou em contato com o Inpe, que se prontificou a apoiar o projeto. Tentaram desenvolver o satélite com o kit americano, mas o equipamento acabou redesenhado pelo pesquisador Auro Tikami, como parte de seu projeto de mestrado no Inpe. "O trabalho dele foi fazer a engenharia do satélite para atender aos novos requisitos", ressaltou Cândido Moura.

 

O satélite a ser lançado hoje tem duas cargas úteis: um gravador chip com a mensagem da escola que será transmitida em órbita e um experimento do Inpe para estudar as chamadas bolhas de plasma da atmosfera, fenômeno ionosférico que compromete a captação de sinais de satélite e antenas parabólicas em países localizados na linha do Equador.

 

Para Tikami, o UbatubaSat serviu "como uma forma objetiva de difusão de conhecimento junto à comunidade de estudantes e professores interessados em levar ciência para dentro das salas de aula".

 

O projeto conta ainda com a parceria da Agência Espacial Brasileira (AEB), que arcou com os custos dos testes e do voo do satélite para a estação espacial. A agência também incluiu os alunos no programa Satélites Universitários, criado para fomentar o desenvolvimento de satélites nas universidades brasileiras.

 

Os seis alunos que participaram da construção do satélite tiveram a oportunidade de viajar para o Japão e para os Estados Unidos, onde conheceram a Nasa.

 

O lançamento do satélite pode ser acompanhado pela internet, no link http://global.jaxa.jp/projects/rockets/htv/ disponibilizado pela Jaxa, a agência espacial do Japão.

 

Para mais informações sobre o projeto acesse a página no site do MCTIC.

 

Agência FAPESP