Notícia

Revista Sustentabilidade

Primeiro ônibus à hidrogênio da América Latina começa a rodar em SP

Publicado em 03 maio 2011

 

As empresas gaúchas Tuttotrasporti e Marcopolo, desenvolveram o primeiro veículo a hidrogênio da América Latina, com o investimento de US$ 16 milhões [cerca de R$ 31 milhões] por parte do Global Environmental Facility (GEF), informou a Agência Fapesp.

O primeiro veículo brasileiro do segmento, um ônibus, foi apresentado no dia 1º de julho, após 15 anos de pesquisas realizadas pela Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo e o Ministério das Minas e Energia, e estará circulando pela Região Metropolitana de São Paulo a partir de agosto. Outras três unidades estarão disponíveis a partir de 2010.

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) destinou US$ 16 milhões do Global Environmental Facility (GEF) para a iniciativa. O fato do Brasil ser um país de economia emergente e o maior mercado mundial de ônibus contribuíram para o financiamento.

A energia elétrica que movimenta o veículo é originada quando o hidrogênio armazenado nos tanques do ônibus é injetado na célula a combustível e se funde com o oxigênio do ar. A energia elétrica gerada nesse processo é armazenada em três baterias e como subproduto da reação, ocorre a liberação de água.

O ônibus possui autonomia de rodagem de 300 km com o uso do hidrogênio e de 40 km com a energia elétrica reservada nas baterias e consome 15 kg de hidrogênio a cada 100 km percorridos.

Há a previsão da montagem da estação de produção de hidrogênio e abastecimento dos ônibus, em São Bernardo do Campo, com o apoio técnico da Petrobras, da BR Distribuidora e da AES Eletropaulo.

O fato colocou o Brasil em destaque no desenvolvimento dessa tecnologia, passando com isso a ter uma posição global de destaque, ao lado dos Estados Unidos, da Alemanha e da China.