Notícia

Unesp

Prestação de serviço para fruticultura regional

Publicado em 29 agosto 2013

Por João Moretti

Aloísio Costa Sampaio, professor do Departamento de Ciências Biológicas da Faculdade de Ciências (FC) da Unesp, câmpus de Bauru, desenvolve o projeto de Extensão Universitária denominado Desenvolvimento Sustentável para Agricultura Familiar.

Trata-se de um projeto que representa uma continuidade de ações de pesquisa e extensão focadas na geração de renda e agregação de valor de produtos hortícolas com grande potencial de produção pela agricultura familiar da região de Bauru.

Os trabalhos tiveram início em 2002 com aprovação pela Fapesp de mais de 130 mil reais dentro do projeto de Políticas Públicas intitulado ‘Desenvolvimento Sustentável em Horticultura para agricultura familiar e áreas de assentamento rural.

Em 2005 o pesquisador foi contemplado com o projeto “A Fruticultura como instrumento de geração de renda para agricultura familiar e áreas de assentamento rural”, no montante de mais de 76 mil reais. Segundo Aloísio por meio das ações desenvolvidas nestes dois projetos, adquiriu-se uma linha completa de equipamentos em aço inox para processamento de frutas, bem como embaladeira automática de polpa e câmara fria em painel. “Estes equipamentos após o término do projeto com apoio do CNPq em 2007 ficaram desmontados no barracão da Associação de Fruticultores de Bauru e região (BauruFrutas)”, conta o professor.

Aloísio relata que em março de 2011 após reunião com a professora Laura Margarida Josefina Laganá, Diretora Superintendente das Faculdades de Tecnologia - FATECs pertencentes ao Centro Paula Souza, se sensibilizou pelo projeto e incluiu no orçamento do Centro recursos para construção de um prédio com especificações técnicas exigidas pela Vigilância Sanitária para abrigar os equipamentos mencionados na Escola Técnica ‘Astor de Mattos Carvalho’ localizada no município de Cabrália Paulista, distante 35 km da cidade de Bauru. Desde 2011 as instituições são cooperadas e há cerca de 60 dias os equipamentos foram testados através de processamento de maracujá e goiaba.

Segundo o professor o projeto tem por objetivo viabilizar a gestão da unidade de processamento de frutas, cuja proposta em andamento é que seja feita pela Cooperativa existente na Escola Técnica de Cabrália Paulista. “Queremos que represente um instrumento de segurança no fomento da produção regional de frutas e agregação de valor, com consequente transferência de renda para o campo” explica o professor. Ainda complementa que realizará um acompanhamento técnico nas áreas de produção em relação às técnicas adequadas para uma boa produtividade, qualidade e rentabilidade.

Associada a esta transferência de tecnologia serão implantados projetos de pesquisa em campo com frutíferas potenciais e análise da qualidade das polpas produzidas, bem como dos sub-produtos gerados como farinha da casca do maracujá e óleo da semente, completou o professor.

A agricultura familiar apresenta grande importância social e econômica, assim como fragilidades e potencialidades. Segundo ele, observa-se a capacidade de geração de renda e emprego, além da importante contribuição da agricultura familiar para a produção agropecuária. “Fica claro também que a agricultura familiar ainda é depositária de um grande contingente de pessoas vivendo em condições sociais e de produção extremamente heterogêneas, muitas vezes, formando bolsões de pobreza rural”, pontuou Aloísio.

Neste dia 30 de agosto, sexta-feira acontece o curso: “Planejamento para produção sustentável de Maracujá”, sendo que às 11h ocorre a palestra: “Sistema de produção de maracujá com mudas de sacolas formadas em ambiente protegido e ‘vazio sanitário’” com o professor Aloísio Costa Sampaio. Interessados em participar poderão encomendar mudas de maracujá para semeadura em outubro deste ano, além de formação de grupos de produtores.

No dia 27/09 acontece o Curso teórico-prático de maracujá na mesma escola, sendo que, às 8h30, o professor Aloísio realiza a palestra “Planejamento de plantio: espaçamento, espaldeira, quebra-vento, poda de formação e às 09h30min. a professora Terezinha Fumis também do Departamento de Ciências Biológicas da FC da Unesp de Bauru fala sobre “Biologia Floral e polinização”. Às 15h30min. ocorre a divulgação do Treinamento técnico em maracujá para os grupos interessados no plantio.

Os interessados em se inscrever e participar do evento deve contatar para mais informações (14) 3103-6078 (Unesp) ou (14)3285-1210 (Etec).

O e-mail do professor Alísio Costa Sampaio é aloisio@fc.unesp.br

Da FC/Bauru