Notícia

FAPERJ - Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro

Presidente da FAPERJ faz apresentação na sede do Cremerj

Publicado em 21 fevereiro 2019

O presidente da FAPERJ, Jerson Lima Silva, esteve nesta quarta-feira, dia 20 de fevereiro, na sede do Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro (Cremerj) na primeira edição do Café, Saúde e Ciência, evento itinerante organizado conjuntamente pela Sociedade Brasileira de Higiene e Saúde Pública (Sobrahsp) e pela Associação Nacional dos Médicos Residentes (ANMR), com apoio do Cremerj. Na oportunidade, Lima Silva falou do crescimento da produção científica brasileira nas últimas décadas e dos desafios à frente, para expandir os investimentos no fomento à pesquisa e aumentar o número de pesquisadores, especialmente no estado do Rio de Janeiro.

Empossado no início de janeiro na presidência da Fundação, ele listou as principais metas para os próximos quatro anos de sua gestão, reafirmando seu compromisso de defender que a legislação estadual que prevê o repasse de 2% da receita líquida do Estado para pesquisa seja cumprida, além do aumento de parcerias com outras instituições de fomento, inclusive empresas privadas.

Em sua apresentação, o titular da FAPERJ disse que, de acordo com o percentual previsto na legislação, a FAPERJ deverá receber cerca de R$ 500 milhões do erário estadual em 2019. Ele se mostrou otimista ao dizer que a medida abre caminho para a recuperação da capacidade de fomento da Fundação. “É um orçamento que, uma vez realizado, pode devolver à FAPERJ sua capacidade de investimento e de impulsionar novamente pesquisas importantes que vinham sendo realizadas em nosso estado”, disse. Ele adiantou que os responsáveis pela área de Ciência, Tecnologia e Inovação (C,T&I) no ainda recém-empossado governo do estado receberam bem a ideia de discutir a possibilidade de efetivar os repasses à Fundação de forma mensal, a exemplo do que já ocorre há alguns anos com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Durante a visita ao Cremerj, Lima Silva elencou os principais desafios para a expansão da pesquisa no País. Citou, primeiramente, o baixo número de cientistas atuando em território nacional, 700 para cada milhão de habitantes, e citou, a título de comparação, a Coréia do Sul, referência em alto investimento em pesquisa com grandes resultados e que possui uma média sete vezes maior. Em seguida, destacou as dificuldades com o montante de recursos destinados ao investimento da C,T&I no País, cerca de 1% do produto interno bruto nacional, que também precisa ser incrementado, ainda que o atual desafio esteja mesmo, segundo ele, em reduzir os cortes ocorridos por conta da crise. Por último, o presidente destacou o baixo índice de intensidade tecnológica da indústria brasileira.

De acordo com o presidente da FAPERJ, a atração de investimentos privados é uma das saídas para o crescimento do orçamento em pesquisa. “Precisamos ter mais ações, como a do Instituto Serrapilheira, que funcionam como doações e até investimentos de empresários que acreditam que seu negócio será revolucionário”, comentou. Nesse contexto, uma das metas colocadas por Lima Silva é a expansão das parcerias com a Empresa Brasileira de Pesquisa Industrial (Embrapii). Atualmente, existem quatro parcerias com a Embrapii no estado e a ideia é dobrar esse número. No modelo, cada uma das partes – empresa, instituição de pesquisa e a Embrapii – é responsável por um terço dos investimentos.

No encerramento de sua palestra, ele lembrou a célebre frase da pesquisadora da área de câncer Mary Woodard Lasker: “Se você acha que a pesquisa é cara, experimente a doença”. No começo da década de 1970, Lasker promoveu uma grande campanha contra a previsão de cortes de 30% nos recursos nos Institutos Nacionais de Saúde (NIH) dos Estados Unidos pelo governo Richard Nixon. E ao final, o Congresso deu razão a ela.

O evento contou com a presença da diretora Científica da FAPERJ, Eliete Bouskela; do ex-ministro da Saúde José Gomes Temporão; do presidente do CRM, Sylvio Provenzano, do ex-reitor da Universidade Federal Fluminense (UFF), Roberto Salles; dos conselheiros do Cremerj, Antônio Joaquim Werneck de Castro e Antônio Abílio de Santa Rosa; do presidente da SOBRAHSP, Bernardo Soares; do pesquisador da Fiocruz e um dos coordenadores do evento, Cláudio Tadeu Daniel-Ribeiro; e o diretor do escritório do Centro Nacional da Pesquisa Científica (CNRS), da França, no Rio, Olivier Fudym; entre outros pesquisadores de renome na área da saúde.