Notícia

Revista Museu

Prêmio São Paulo de Literatura tem ganhadores

Publicado em 05 agosto 2009

Galileia, de Ronaldo Correia de Brito, é o ganhador do Prêmio São Paulo de Literatura 2009, na categoria Melhor Livro do Ano de 2008. O anúncio foi feito pelo governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura, na última segunda-feira (3/8), no Museu da Língua Portuguesa em São Paulo.

Na categoria Melhor Livro do Ano - Autor Estreante, o escolhido foi Altair Martins, por A Parede no Escuro. Os ganhadores das duas categorias receberam, cada um, R$ 200 mil.

O concurso teve 217 romances de 75 editoras e 13 autores independentes inscritos nesta edição. A primeira edição do Prêmio São Paulo de Literatura foi realizada no ano passado, com as escolhas de Cristovão Tezza, por O Filho Eterno, como Melhor Livro do Ano, e de Tatiana Salem Levy, com A Chave de Casa, como Melhor Livro de Autor Estreante.

O governador de São Paulo, José Serra, participou da premiação e antecipou o anúncio da realização da 3ª edição do evento. “Este é um prêmio que veio para ficar. Três anos [em 2010] será tempo suficiente para fixá-lo como um marco. Em 2008, tivemos 146 romances registrados. Este ano, 217. É um aumento significativo”, disse.

Ao comentar que “minha língua é minha pátria”, Serra parafraseou o poeta português Fernando Pessoa ao ressaltar que o prêmio não tem limites regionais. “[Ele] ultrapassa os limites territoriais do Brasil. Pelos vencedores, vocês podem ver que é um prêmio nacional. Ganharam um gaúcho [Altair] e um cearense [Ronaldo] que mora em Pernambuco”, completou.

Durante seu discurso, o governador destacou outros programas de fomento à literatura promovidos no Estado de São Paulo. Serra citou o Festival da Mantiqueira, em que os finalistas do Prêmio São Paulo de Literatura 2009 foram anunciados, o Viagem Literária, programa de incentivo à leitura que percorre o interior do Estado, e o projeto Biblioteca São Paulo, que será inaugurado em janeiro no Parque da Juventude e receberá investimentos de R$ 12 milhões. O governador salientou ainda a importância da Imprensa Oficial na publicação de livros que não têm apelo comercial.

O secretário de Cultura, João Sayad, também esteve no evento e enfatizou a dimensão do prêmio. “Queremos que seja um prêmio escandaloso para que chame atenção para os livros, para os autores e, principalmente, para a leitura”, afirmou.

Também participaram da entrega do Prêmio São Paulo de Literatura 2009 o secretário de Educação, Paulo Renato Souza, o secretário de Relações Institucionais, José Henrique Reis Lobo, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, e o coordenador da Unidade de Fomento e Difusão de Produção Cultural, André Sturm.

Os livros finalistas foram escolhidos após avaliação de júri formado pelos professores Ivan Marques e Marcos Moraes, pelos escritores Menalton Braff e Fernando Paixão, pelos livreiros Paula Fabrio e José Carlos Honório, pelos críticos literários Marcelo Pen e Josélia Aguiar, e pelos leitores Márcia de Grandi e Mario Vitor Santos.

Entre autores concorrentes estavam nomes consagrados da literatura como José Saramago, Milton Hatoum, Moacyr Scliar e João Gilberto Noll. A avaliação final foi feita por um segundo grupo de jurados, que chegou aos dois vencedores.

Mais informações: www.cultura.sp.gov.br

Fonte: Agência FAPESP